This content is not available in your region

Turquia: grupo dissidente TAK reclama atentado de sábado em Istambul

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com Reuters, AFP
Turquia: grupo dissidente TAK reclama atentado de sábado em Istambul

<p>Na Turquia, um grupo dissidente do <span class="caps">PKK</span> reivindicou a autoria do duplo atentado de sábado à noite em Istambul.</p> <p>O grupo <span class="caps">TAK</span> afirma que o alvo dos atentados não foi o povo turco mas sim o estado.</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="pt" dir="ltr">O atentado na Turquia que visou os adeptos do Besiktas foi reivindicado pelo <span class="caps">TAK</span>, um grupo dissidente do <span class="caps">PKK</span>.</p>— Duarte Levy (@DuarteLevy) <a href="https://twitter.com/DuarteLevy/status/807962325001105409">December 11, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>O anúncio tem lugar após os funerais das 38 vítimas mortais do duplo atentado ocorrido no sábado em Istambul próximo ao estádio do Besiktas.</p> <p>Na cerimónia fúnebre, o ministro do interior prometeu vingança. Segundo as autoridades, a viatura armadilhada e o bombista suicida teriam visado especificamente as forças da ordem.</p> <p>Ambas as explosões ocorreram cerca de duas horas após a partida de futebol entre duas equipas da primeira divisão turca, o Besiktas e o Bursaspor.</p> <p>Segundo as autoridades, 13 pessoas foram detidas devido a alegadas ligações a este duplo atentado.</p> <p>Veja <a href="https://www.facebook.com/plugins/video.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Feuronews%2Fvideos%2F10154465784678110%2F&show_text=0&width=560">aqui</a> a reação dos jornalistas num estúdio de televisão situado nas proximidades do estádio.</p> <p>O primeiro-ministro declarou um dia de luto nacional em memória das vítimas deste duplo atentado.</p> <p>Para além das 38 vítimas mortais, registaram-se ainda 155 feridos.</p> <p>O secretário-geral da <span class="caps">NATO</span>, Jens Stoltenberg, condenou os ataques e outros líderes europeus enviaram mensagens de solidariedade.</p>