This content is not available in your region

Argentina: Cristina Kirchner indiciada por corrupção e gestão fraudulenta

Access to the comments Comentários
De  Miguel Roque Dias  com EFE; Lusa
Argentina: Cristina Kirchner indiciada por corrupção e gestão fraudulenta

<p>A Justiça da Argentina indiciou, esta terça-feira, a antiga presidente, Cristina Fernández Kirchner, que governou o país entre 2007 e 2015, por associação ilícita e gestão fraudulenta por alegadas irregularidades na concessão de obras públicas durante o mandato.</p> <p>O juiz federal Julián Ercolini aceitou a acusação e determinou o congelamento dos bens da antiga governante, avaliados em cerca de 10 mil milhões de pesos (607 milhões de euros).</p> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="en"><p lang="es" dir="ltr">ÚLTIMA <span class="caps">HORA</span> | Un juez argentino procesa a Cristina Kirchner por corrupción y le embarga 666 millones de dólares <a href="https://t.co/Irp31ldHYW">https://t.co/Irp31ldHYW</a></p>— EL <span class="caps">PAIS</span> América (@elpais_america) <a href="https://twitter.com/elpais_america/status/813804198336884738">December 27, 2016</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <p>Kirchner considerou de imediato as acusações dirigidas contra si como “uma formidável manobra de perseguição política”.</p> <p>As acusações são extensíveis ao empresário Lázaro Báez, que terá beneficiado de contratos irregulares. O proprietário da empresa <span class="caps">BTP</span>, está detido desde abril. Báez enriqueceu consideravelmente durante os três mandatos do casal Kirchner. </p> <p>Ercolini indiciou, também, o antigo ministro das Obras Públicas, Julio de Vido, e o seu secretário de Estado, José Lopez.</p> <p><em>Com: <span class="caps">EFE</span>; Lusa</em></p>