Última hora

Donald Trump tornou-se “homem de família” em 1977 quando casou com a sua primeira esposa, Ivana, esquiadora olímpica da antiga Checoslováquia. Juntos tiveram três filhos: Donald Jr., Ivanka e Eric. Donald e Ivana foram casados 15 anos. Separaram-se em 1992.

No ano seguinte o presidente eleito dos EUA casou-se com Marla Maples. O casal teve uma filha, Tiffany, nascida em 1993. O casamento terminaria em 1999: “Eu sempre disse que sou um grande pai, mas não um bom marido”, desabafou numa entrevista a Oprah Winfrey, acrescentando: “eu amo a minha família”.

Em 2005, aquele que ficará para sempre conhecido como o magnata do imobiliário, “perdeu-se de amores” pela modelo eslovena Melania Knauss, com quem continua casado.

O “núcleo duro” do novo presidente dos EUA:

Melania Trump

A terceira esposa de Trump, nascida em 1970, é uma ex-modelo eslovena e mãe do seu filho mais novo, Barron. Conheceram-se em 1998, no Kit Kat Club, em Nova Iorque, uma relação de curta duração já que, em 2000, este considerou, por breves momentos, uma candidatura à presidência.

Melania e Donald voltariam a juntar-se e em 2004 ele pedia-a em casamento durante a Gala do Met Costume Institute.

A mulher de Donald Trump, e próxima primeira-dama dos EUA, que tem uma linha de joia e outra de produtos de estética, manteve-se, relativamente “apagada”, durante a campanha eleitoral. Ainda assim, não se livrou de se ver envolvida num escândalo.

No momento em que deveria bilhar, durante a campanha, fazendo a apologia da candidatura de Trump à presidência dos EUA, durante a Convenção Republicana, em julho passado, acabou “enxovalhada” pelos meios de comunicação, e não só, acusada de plagiar um discurso de Michelle Obama. O autor do texto foi despedido, Melania desculpou-se, mas nem isso evitou que a sua popularidade, em comparação com a da sua antecessora, sofresse um verdadeiro abalo.

Melania promete ser uma “primeira-dama” tradicional “, ao modo “Jackie Kennedy”. Diz que quer a voz contra o bullying na internet e ajudar as mulheres que vivem na pobreza. No entanto, não é claro qual será o seu papel em termos públicos.

Os Trump utilizam as redes sociais, às vezes talvez excessivamente, para exporem os seus pontos de vista. Numa das suas contas Melania escreve que tem um casamento bem-sucedido, porque ambos se respeita, ao Harper Bazaar afirmou:

“Dou-lhe as minhas opiniões. Às vezes ele têm-nas em consideração, outras não. Se concordo sempre com ele? Não. Penso que isso é bom para um relacionamento saudável. Não sou uma pessoa que diz sempre sim. (…) Mas não quero mudá-lo. E ele não quer mudar-me.”

Melania diz que desenvolveu, ao longo dos anos, um grande respeito pelo marido:

“Para ser casada com meu marido é preciso ser-se muito esperta, e pensar rápido. É preciso ser-se muito independente”, afirmou a Oprah.

Donald Trump Jr. e Eric

Os filhos mais velhos de Donald Trump, Donald Jr. (nascido em 1977) e Eric (nascido em 1984), são empresários e até agora vice-presidentes executivos da The Trump Organization, juntamente com a sua irmã Ivanka. Na ausência do pai passarão a gerir o grupo, a partir de Nova Iorque. Teoricamente não podem discutir os negócios com o pai, o novo presidente dos EUA.

Don Jr., que tem cinco filhos com a sua mulher Vanessa, diz que, ele e os seus irmãos, evitaram alimentar blogs de rumores, dedicando muito do seu tempo a trabalhar nos negócios do pai. À revista Forbes afirmou:

“Tenho certeza que sou o único filho de um multimilionário capaz de conduzir uma escavadora melhor do que um carrinho de golfe.”

Já Eric, casado com a produtora de notícias da CBS, Lara Yunaska, queixou-se de ter de parar de angariar fundos para a sua fundação por temer conflitos de interesses.

Os irmãos têm alimentado controvérsias, com questões como o facto de serem caçadores, depois de posarem para os fotógrafos com animais mortos, durante uma viagem ao Zimbábue.

Ivanka Trump

A filha mais velha de Trump, Ivanka (nascida em 1981) está de mudança para Washington, o que pode sugerir que os EUA vão ter uma filha mais velha de um presidente mais presente do que é costume. Ivanka é empresária e mãe de três filhos.

Para já não foi anunciado nenhum papel para si na administração Trump. Já o seu marido Jared será o conselheiro especial do sogro na Casa Branca.

Ivanka foi ativa durante a campanha do pai. Durante a campanha, mostrou-se defensora das mulheres, no que diz respeito, por exemplo, à diferença de salários entre géneros, causas mais ligadas, tradicionalmente, ao Partido Democrata.

Ivanka, que se converteu ao judaísmo em 2009, quando se casou com Jared Kushner, é um canal perfeito para se chegar ao pai, no entanto, acabou “debaixo de fogo” depois de uma reunião com o primeiro-ministro japonês o que lançou temores de um conflito de interesses desde a eleição.

Advogados dizem que ela deixará o cargo de vice-presidente da The Trump Organization e a administração da sua empresa de moda e a de joalharia, resta saber ao que se dedicará.

Jared Kushner

O marido de Ivanka Trump, de 36 anos, será um dos homens mais poderosos do governo, devido ao seu proeminente papel, na administração Trump.

Espera-se que se centre em questões como a política no Médio Oriente, Donald Trump afirmou mesmo que acredita que Kushner poderá negociar a paz entre os israelitas e os palestinianos.

Neto de um judeu ortodoxo, sobrevivente do Holocausto, é considerado uma influência pacífica em Trump. Apesar das preocupações com o nepotismo, o seu advogado diz que ele vai “alienar ativos substanciais” para cumprir as diretrizes federais. Aquele que se diz ter sido o cérebro por detrás da eleição de Trump, vem de uma família multimilionária de Democratas de New Jersey.

Tiffany Trump

De todos os filhos de Trump aquele que as pessoas conhecem menos bem é Tiffany, filha da sua segunda esposa, Marla Maples. Tiffany, nome que é uma homenagem à icónica joalharia de Manhattan, cresceu longe de todo o foco de atenção existe sobre a família e vê o pai apenas algumas vezes por ano. Viveu tranquila com a mãe, em Los Angeles, até terminar os estudos.

Tiffany nunca se arrependeu de crescer longe da sua família paterna:

“Para mim, foi ótimo ter a possibilidade de crescer como uma miúda normal, fora do centro das atenções, em comparação eles, que cresceram em Nova Iorque. (…) Eles tiveram sempre a atenção dos meios de comunicação focada neles.”

Tiffany formou-se em sociologia e estudos urbanos, em 2016, pela Universidade da Pensilvânia, a mesma onde o pai obteve o seu bacharelato.

Acabou por participar na campanha do pai, na segunda noite da Convenção Republicana de 2016, em Cleveland. No seu discurso frisou a sua falta de familiaridade com aquele tipo de situações:

“Quando me formei, há uns meses, não esperava estar aqui, esta noite, a dirigir-me à Nação. Eu fiz alguns discursos, nas salas de aula, para estudantes, mas nunca numa arena com mais de 10 milhões de pessoas a assistir.”

Barron Trump

O único filho de Donald Trump com Melania tem 10 anos e vive com a mãe em Nova Iorque. Entre a mãe, uma antiga modelo, e a irmã Ivanka, estilista, Barron gosta de estar na moda, apesar da tenra idade, a mãe diz que ele: “gosta, por vezes, de pôr uma gravata, como o pai”.

Barron esteve, maioritariamente, ausente da campanha, pelos seus “compromissos” com a escola. Para já, e apesar dos custos que isso implica para a “Big Apple”, em termos de segurança, Barron e a mãe vão continuar a viver em Nova Iorque, pelo menos até o ano letivo terminar. Depois disso, será o primeiro filho pré-adolescente a viver na Casa Branca desde John F. Kennedy Jr.