Última hora

Última hora

Homem que atacou militar em Paris terá chegado ao país vindo do Dubai

De acordo com a France Press o homem que atacou, este manhã um militar, na entrada das galerias do museu do Louvre, em Paris, chegou ao país vindo do Dubai com um visto…

Em leitura:

Homem que atacou militar em Paris terá chegado ao país vindo do Dubai

Tamanho do texto Aa Aa

De acordo com a France Press o homem que atacou, este manhã um militar, na entrada das galerias do museu do Louvre, em Paris, chegou ao país vindo do Dubai com um visto egípcio. A agência de notícias cita fontes próximas à investigação. Terá 29 anos.

O homem utilizou uma catana para provocar ferimentos, ainda que ligeiros, no militar. Acabou por ser atingido por, pelo menos um dos vários disparos dos outros efetivos. Está gravemente ferido.

O Presidente francês, François Hollande concorda com o Primeiro-ministro quando este disse que tudo indica ter-se tratado de um ataque terrorista.

Quem estava no Louvre, cerca de 1200 pessoas, ou nos arredores, franceses e estrangeiros, conta como viveu a experiência:

“Só ouvi os tiros. Dois disparos e depois uma série de outros”, explicou uma funcionária de uma loja das galerias do Carrousel du Louvre.

“No início pensei que era fogo-de-artifício, o barulho do fogo-de-artifício. Mas depois disse-me: não é possível, estamos em França. Não e fogo-de-artifício. Está a acontecer qualquer coisa, mas não sabíamos o quê”, desabafa uma jovem que trabalha nas proximidades do Louvre.

“Espero que não temamos viajar para Paris porque é uma bonita cidade. E quando vemos os militares armados, toda essa gente, penso que continua a ser um lugar seguro”, adianta Veronika, uma turista da República Checa.

Durante a tarde a polícia fez buscas a um apartamento perto dos
Champs-Elysées.

Entretanto, a ministra da Cultura francesa já informou que o museu do Louvre reabre, ao público, este sábado.