Última hora

Última hora

Congressistas dos EUA querem explicações sobre demissão de Flynn

O Conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, agora demissionário, diz estar a ser um bode expiatório.

Em leitura:

Congressistas dos EUA querem explicações sobre demissão de Flynn

Tamanho do texto Aa Aa

Vários congressistas americanos, incluindo alguns do Partido Republicano, pediram explicações a Donald Trump e querem saber mais sobre as eventuais ligações entre a administração Trump e a Rússia, depois da demissão do general Michael Flynn do lugar de Conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca.

Point of view

O que podemos concluir destas palavras (bode expiatório) é que outras pessoas têm culpa do que se passou e que essa culpa deve ser partilhada.

Nancy Pelosi Líder da minoria democrata no Congresso (EUA)

“Segundo o Washington Post”:
https://www.washingtonpost.com/world/national-security/national-security-adviser-flynn-discussed-sanctions-with-russian-ambassador-despite-denials-officials-say/2017/02/09/f85b29d6-ee11-11e6-b4ff-ac2cf509efe5_story.html?tid=ss_tw-amp&utm_term=.4d480822c8e9, Flynn terá discutido com o embaixador russo um possível levantamento das sanções.

Sean Spicer, porta-voz da Casa Branca, diz que a demissão se deu por uma questão de confiança: “O general (Flynn) não violou qualquer segredo. Esteve bem no papel de discutir assuntos de interesse comum entre os dois países. Chegámos a um ponto em que concluímos que seria melhor mudar, não por questões jurídicas, mas devido à erosão na confiança entre o presidente e o general Flynn”, disse aos jornalistas.

Flynn reagiu através do Twitter e diz que foi um bode expiatório em toda a história:

Disse ainda estar dececionado com Spicer:

A expressão usada pelo conselheiro demissionário foi a deixa para a líder da minoria democrata no Congresso, Nancy Pelosi, pedir explicações: “Sabem o que significa um bode expiatório? Significa que, numa comunidade em que as pessoas se querem absolver da culpa, encontram um bode, passam-lhe todos os males e expulsam-no da cidade. Por isso, o que podemos concluir destas palavras é que outras pessoas têm culpa do que se passou e que essa culpa deve ser partilhada”.

Donald Trump recusou-se a responder a perguntas sobre a demissão de Flynn. Preferiu chamar a atenção para a as alegadas fugas de informação que estão a acontecer na Casa Branca, e que terão levado à divulgação das conversas de Flynn com o embaixador russo.