Última hora

Em leitura:

EUA: Jeff Sessions afasta-se de inquérito russo mas não abandona o cargo


EUA

EUA: Jeff Sessions afasta-se de inquérito russo mas não abandona o cargo

Donald Trump denunciou esta noite o que considera ser, “uma caça às bruxas” contra a sua administração, após as acusações que pesam sobre o novo responsável da Justiça.

Na sua conta Twitter, o presidente defendeu Jeff Sessions, como “um homem honesto”, depois do responsável ter voltado a rejeitar demitir-se, mesmo depois de ter ocultado dois encontros com o embaixador russo durante a campanha para as presidenciais.

Durante uma conferência de imprensa, na quinta-feira, Sessions limitou-se a garantir que não vai participar no inquérito em curso sobre a alegada interferência russa durante a campanha eleitoral.

“A minha equipa recomendou-me que me mantenha afastado deste inquérito, uma vez que estive envolvido na campanha. Analisei as regras e tomei em conta os comentários e a avaliação da minha equipa”.

Sessions rejeita assim abandonar o cargo, duas semanas depois dos contactos secretos com o mesmo embaixador russo terem levado à demissão da primeira escolha de Trump para a segurança nacional, Michael Flynn.

Os democratas acusam Sessions de ter mentido durante a audição no Senado, em janeiro, durante a qual declarou não ter tido qualquer contacto com os russos.

A Casa Branca garante, no entanto, que Sessions ter-se-ia reunido com o embaixador no quadro da sua atividade como senador e não como membro da equipa de campanha de Trump.

O jornal Washington Post voltou esta madrugada a desmentir os argumentos de defesa de Sessions ao revelar que o político utilizou fundos da campanha de Trump para viajar a Cleveland, onde se reuniu com o representante russo.

A oposição democrata exige agora a nomeação de um procurador especial para investigar o caso que, para já, deverá levar Trump a rever algumas das promessas eleitorais relativas à Rússia, nomeadamente a decisão de levantar as sanções internacionais a Moscovo.