Última hora

Última hora

Holanda: Wilders quer proibir o Corão como o Mein Kampf

Foi diretor do jornal De Telegraaf por um dia mas o objetivo é ser primeiro-ministro da Holanda nos próximos 4 anos.

Em leitura:

Holanda: Wilders quer proibir o Corão como o Mein Kampf

Tamanho do texto Aa Aa

Foi diretor do jornal De Telegraaf por um dia mas o objetivo é ser primeiro-ministro da Holanda nos próximos 4 anos. Mas para isso Geert Wilders, candidato do Partido da Liberdade (PVV) nas legislativas de 15 de março, anti-islão e eurocético, precisa de um parceiro de coligação. As sondagens dão-lhe vitória sem maioria absoluta.

Defende que o Corão deve ser proibido no país. A ideia foi defendida no microfone da Euronews. “Preferia não ter o Corão, de todo, tal como aqui na Holanda nós proibimos o Mein Kampf, também. Pode ser simbólico, em parte, mas qualquer das maneiras teria um grande efeito. Se nas políticas de imigração um país for mais duro do que outros, então os imigrantes vão para os países com políticas mais brandas”, disse.

Uma perita da Universidade de Amsterdão considera que ascensão da extrema-direita nacionalismo na Europa se deve a sentimentos de cultura e identidade, menos sobre aspetos económicos.

Mas um professor reformado pensa o contrário. “A primeira crise do capitalismo foi em 2008 e não houve a recuperação de oportunidades de trabalho. Por isso as pessoas, com razão estão zangadas, mas erradamente se viram contra as minorias”, referiu.

A menos de duas semanas das eleições, a maioria dos líderes holandeses recusa formar coligação com Wilders por causa das suas posições anti-islâmicas e xenófobas.