Última hora

Última hora

Bruxelas: Um ano depois, um minuto de silêncio

Os belgas assinalam um ano dos ataques jihadistas de Bruxelas, que deixaram 32 mortos e cerca de 300 feridos.

Em leitura:

Bruxelas: Um ano depois, um minuto de silêncio

Tamanho do texto Aa Aa

Com agências

Os Belgas recordam as vítimas dos ataques jihadistas que deixaram 32 mortos em Bruxelas.

Os atentados suicidas ocorreram há um ano no aeroporto da capital belga e na estação de metro de Maelbeek.

Cerca de 300 pessoas ficaram feridas.

Os atentados foram reivindicados pelos jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico (EI) ou Daesh.


Um minuto de silêncio

A Bélgica cumpriu um minuto de silêncio para assinalar o primeiro aniversário dos atentados.

Foram os mais graves de sempre em território belga.

Às 07:58 de 22 de março de 2016, Najim Laachraui, Ibrahim el-Bakraui e Mohamed Abrini entraram no aeroporto de Zaventem com explosivos nas malas que transportavam, em carrinhos de bagagem.

El-Brakaui foi o primeiro a detonar a bomba.

Segundo testemunhas, Laachraui tentou correr por entre a multidão em fuga, mas a mala caiu do carrinho e explodiu prematuramente.

Abrini fugiu, deixando para trás a mala armadilhada, desativada horas mais tarde pela polícia.

Às 09:11, Khalid el-Bakraui, irmão de Ibrahim, fez-se explodir na estação de metro de Maalbeek.