Última hora

Em leitura:

Loja holandesa pede desculpa por sugerir Adolf Hitler a crianças


Holanda

Loja holandesa pede desculpa por sugerir Adolf Hitler a crianças

A cadeia de lojas holandesa Kruidvat de lojas pediu desculpa aos clientes depois de ter sido criticado por causa de um livro de pintar para crianças colocado à venda na segunda-feira. Em causa estava uma das imagens sugeridas para colorir, a do polémico líder do regime nazi alemão, Adolf Hitler.

A agravar o peso da imagem está ainda o gesto típico da saudação nazi e o facto de no braço direito do boneco estar o símbolo da suástica. Muitos clientes da loja insurgiram-se contra o livro na página de Facebook da empresa.

A cadeia de lojas Kruidvat já retirou os livros das estantes de venda, abriu uma investigação para apurar como a imagem de Hitler passou nos controlos de conteúdos da empresa e emitiu um pedido de desculpa também pelo Facebook, lamentando a “imagem inadequada” e pedindo a devolução contra reembolso a quem adquiriu exemplares do livro.

“Lamentamos profundamente este incidente. Pedimos desculpa pelo transtorno”, lê-se na conclusão do comunicado da empresa.

Um porta-voz da editora belga Trifora, responsável pela edição do livro, minimizou o caso, revelou que o artigo foi produzido na Índia e sugeriu que “a pessoa que criou este livro de colorir encontrou num armário uma publicação com imagens de gente famosa e selecionou umas quantas”. “Infelizmente, incluiu Adolf Hilter. Talvez nem o tenha reconhecido”, referiu a mesma fonte, citada pelo site NU.

O jornal holandês adianta ainda uma outra teoria de que “Hitler é visto na Ásia como um dos grandes líderes históricos mundiais” e acrescenta, como exemplo, que o livro do ditador nazi, ‘Main Kampf’, “é considerado de leitura obrigatória para homens de negócios.”

O polémico livro de colorir incluía ainda imagens, por exemplo, de Abraham Lincoln, Nelson Mandela e Albert Einstein. Foi colocado à venda apenas na Holanda, mas não foi revelado o número de cópias vendidas.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

tradução automática

tradução automática

Rússia

Atentado na Rússia: O primeiro funeral e a união de Moscovo a São Petersburgo