Última hora

Última hora

Parlamento Europeu presta última homenagem a Kohl

Posterior funeral do antigo chanceler alemão teve lugar na catedral de Speyer, na Alemanha.

Em leitura:

Parlamento Europeu presta última homenagem a Kohl

Tamanho do texto Aa Aa

Com Reuters e Sandor Zsiros, enviado a Estrasburgo

Cerca de 900 pessoas, incluídos representantes e líderes mundiais da Rússia aos Estados Unidos, marcaram presença no funeral do antigo chanceler alemão, Helmut Kohl, morto aos 87 anos e considerado como um dos pais da construção europeia.

Horas antes, o Parlamento Europeu prestou uma homenagem solene ao Chanceler. Em entrevista à Euronews, Jerzy Buzek, antigo presidente do Parlamento Europeu, falou do Helmut Kohl como um homem comprometido com integração europeia:

“Ele disse-me que deveríamos integrar a União Europeia e a zona euro tão depressa quanto possível. E disse-me o que pensava da moeda comum. Que mais do que um projeto económico, era um projeto político”, disse o antigo presidente do Parlamento Europeu e eurodeputado polaco.




Projeto que para Martin Schulz, candidato do SPD (partido social-democrata, centro-esquerda) à chancelaria nas eleições de outubro, precisa de uma nova energia:

“Não precisamos apenas da Al emanha e de França, mas de outros países. A Itália, por exemplo. A Europa precisa de ser refundada e não podemos fazê-lo sozinhos”, disse Schulz, em entrevista à Euronews.

O enviado da Euronews ao Parlamento Europeu, Sandor Zsiros, explicou que a cerimónia a Helmut Kohl em Estrasburgou foi uma demonstração de uma nova força da aliança franco-britânica, aliança que
pode vir a ser tão forte nos próximos tempo como o fora na época de Kohl, quando o Chanceler e o presidente francês,* François Miterrand* lutaram, juntos, pela construção da agora União Europeia.