This content is not available in your region

Madrid acolheu World Gay Parade 2017

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Madrid acolheu World Gay Parade 2017

<p><strong>Com Lusa</strong></p> <p>Centenas de milhares de pessoas marcharam em Madrid, numa demonstração de orgulho <strong><span class="caps">LGBTI</span></strong> sob fortes medidas de segurança, em que <strong>52 carros alegóricos</strong> espalharam as festividades pela capital espanhola durante a tarde e pela noite dentro.</p> <p>O desfile foi liderado por representantes de todos os maiores <strong>partidos políticos espanhóis</strong>, da esquerda à direita, que carregaram uma longa faixa em que se podia ler <strong>“Pelos direitos <span class="caps">LGBTI</span> em todo o mundo”.</strong></p> <p>Atrás deles vinha uma compacta massa humana, com pessoas enfeitadas com as cores dor arco-íris e a dançar ao som de música.</p> <p>A marcha integrava vários grupos de outros países, incluindo Estados Unidos e Grã-Bretanha, e grupos tão diversos como lésbicas rurais ou policias gays e lésbicas.</p> <p>Quatro ativistas leram um manifesto que apelava à União Europeia para ajudar a difundir os direitos <span class="caps">LGBTI</span> por todo o mundo, com particular ênfase na Chechénia, Rússia e outros países que discriminam, criminalizam ou torturam pessoas gay. </p> <p>Pedia também que a Organização Mundial de Saúde ponha fim à categorização da identidade transgénero como uma doença mental.</p> <p>A enorme reunião ao ar livre foi o ponto alto do 10.º Festival do Orgulho Gay 2017, que termina no domingo. </p> <p>Foi realizado em Londres em 2012, em Toronto em 2014 e será em Nova Iorque em 2019.</p> <p>Apesar de a polícia espanhola ter negado ter quaisquer indicações de possíveis ataques terroristas, as autoridades reduziram o tráfico automóvel em Madrid durante o dia de sábado, proibiram camiões pesados e destacaram 3.500 agentes para o centro da cidade.</p> <p>Espanha tem vindo a tornar-se num dos países mais progressistas em termos de direitos da comunidade <span class="caps">LGBTI</span>, tendo sido um dos primeiros a legalizar o casamento homossexual e a adoção por casais do mesmo sexo, em 2005.</p> <p>O parlamento está a elaborar uma nova lei que garanta que todos os departamentos governamentais eliminem quaisquer obstáculos e garantam a igualdade das pessoas <span class="caps">LGBTI</span>.</p>