Última hora

Polacos protestam contra lei que coloca tribunais sob o controlo do poder político

Os manifestantes protestaram em frente ao palácio presidencial, exigindo ao atual Presidente, Andrzej Duda, que não promulgue as leis, aprovadas pelo Parlamento, e evite a sua entrada em vigor.

Em leitura:

Polacos protestam contra lei que coloca tribunais sob o controlo do poder político

Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas protestaram, durante o sábado, em Varsóvia contra o projeto do Governo polaco para reformar o Supremo Tribunal, submetendo-o ao controlo do poder político.

Os manifestantes protestaram em frente ao palácio presidencial, exigindo ao atual Presidente, Andrzej Duda, que não promulgue as leis, aprovadas pelo Parlamento, e evite a sua entrada em vigor.


O Partido Lei e Justiça, com maioria no Parlamento, fez aprovar quadro medidas legislativas. Destaca-se aquela que prevê mudanças no Conselho Nacional Judiciário — o organismo responsável por nomear os 15 juízes máximos do país.

Em Gdansk, o ex-chefe de Estado e prémio Nobel da Paz, Lech Walesa, juntou-se aos protestos

“A nossa geração conduziu a Polónia à liberdade, numa altura incrivelmente difícil, e baseou-a na separação dos poderes. Se alguém quiser interferir nesta vitória importante, vocês, os jovens, não podem deixar que isso aconteça”, avisou o antigo presidente.

Nas ruas, os polacos temem pela democracia e manifestam repúdio pelas iniciativas do Executivo de Beata Szydlo.


“A primeira vez que participei numa manifestação foi há 35 anos, em dezembro de 1980. Agora temos de fazer isto outra vez. Não gosto deste Governo. Destruiu o Tribunal Constitucional e agora vai destruir os tribunais.”, afirmou um polaco.

Uma jovem polaca afirma estar na manifestação por estar “um pouco receosa em relação ao que vai acontecer. Quero dizer, o que vai acontecer aos meus direitos civis, e o que é que o Governo vai fazer a seguir?”

A Comissão Europeia já ameaçou suspender o direito de voto da Polónia, caso ratifique as leis. Bruxelas considera que Varsóvia está colocar em causa a independência do sistema judiciário.