Última hora

Com Lusa

A TAP deverá manter os voos para Caracas, apesar da crise política e económica pela que passa a Venezuela e que se tem agravado nos últimos dias.

Segundo a agência Lusa, no entanto, as tripulações têm ficado hospedadas na ilha de Curaçao, a norte da Venezuela, território de soberania holandesa.

Para a companhia aérea de bandeira portuguesa, trata-se de uma “questão operacional interna” e de “gestão da tripulação”.

A capital venezuelana tem sido assolada por manifestações diárias contra e a favor do presidente Nicolás Maduro.

Caracas atravessa um período de forte instabilidade política, agravada pelas eleições de domingo para a Assembleia Constituinte idealizada pelo presidente.

Outras companhias aéreas optam por suspender a rota

A companhias áreas Delta, Ibéria e Air France, entre outras suspenderam nos últimos dias voos para Caracas.

Maduro convocou as eleições para a formação da chamada Assembleia Constituinte e com a intenção de alterar a* Constituição de 1999*, aprovada durante o primeiro mandato de Hugo Chávez.

A oposição venezuelana acusa o Presidente de pretender usar a reforma para instaurar no país uma gorma de Governo semelhante à de Cuba e perseguir, deter e calar dissidentes.

Segundo as autoridades venezuelanas, morreram pelo menos 16 pessoas durante confrontos, este fim de semana.

Mais de 100 pessoas morreram nos protestos que têm agitado o país desde o passado mês de abril.