Última hora

Greve histórica de trabalhadores do McDonald's

Trabalhadores manifestam-se em nome do fim da precariedade, do direito de se poderem sindicalizar e de um salário mínimo de dez libras por hora.

Em leitura:

Greve histórica de trabalhadores do McDonald's

Tamanho do texto Aa Aa

Em nome do fim da precariedade, do direito de se poderem sindicalizar e de um salário mínimo de dez libras por hora, os trabalhadores de dois restaurantes McDonald’s, em Cambridge e Crayford, começaram esta segunda-feira uma greve histórica no Reino Unido.

O jornal “The Guardian” diz que a empresa é uma das que mais recorre ao contrato de “horário zero”, que na prática se traduz na falta de qualquer garantia de trabalho regular e numa consequente instabilidade de rendimento.

A mobilização conta com o apoio do sindicato União Aliada dos Padeiros e da Restauração (BFAWU). Ao longo da jornada registou-se uma concentração nos arredores de Westminster, onde se encontra a sede do Parlamento britânico.

Esta foi a primeira vez, depois de 43 anos de presença da cadeia de fast-food no Reino Unido, que os trabalhadores fizeram greve, apoiada também pelo líder Trabalhista, Jeremy Corbyn.