Última hora

Rajoy diz que lei do referendo independentista na Catalunha é "inconstitucional"

A reação do governo espanhol à tomada de decisão do Parlamento catalão de aprovar o referendo sobre a independência: "é um ato intolerável de desobediência"

Em leitura:

Rajoy diz que lei do referendo independentista na Catalunha é "inconstitucional"

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, declarou que será o Tribunal Constitucional a revogar a lei de referendo aprovada na quarta-feira pelo Parlamento catalão e que fixa a um de outubro o ato de voto sobre a independência da região autónoma. “Inconstitucional”, é o que afirma Rajoy sobre a lei, ainda sem pronunciamento da instância jurídica, para além de classificar como “um ato intolerável de desobediência” à convocação de um referendo de auto-determinação.

Em conferência de imprensa, o líder do governo espanhol declarou: “Esta consulta que está a ser imposta de um modo desajeitado, improvisado e ilegal,não vai acontecer. Não vai haver qualquer referendo de auto-determinação porque isso não deixa todo o povo espanhol decidir sobre o futuro. Como perceberão, nem o governo ou os tribunais podem tolerar isto sob quaisquer circunstâncias.”


Numa sessão do parlamento catalão tensa, a oposição minoritária foi confrontada com a proposta de votação do projeto de referendo. Duas horas apenas foram concedidas para alterações ao texto. O protesto da oposição traduziu-se na saída dos deputados da sala; a oposição aprovou por maioria a lei, que foi assinada posteriormente pelo chefe do governo regional, Carles Puidgemont.

Uma aprovação que, segundo Rajoy, vale a apresentação de queixas-crime contra os líderes parlamentares por fazerem avançar a votação.