"Diada" da Catalunha foi demonstração de força dos independentistas

Access to the comments Comentários
De  Euronews
"Diada" da Catalunha foi demonstração de força dos independentistas

<p>Centenas de milhares de pessoas manifestaram em Barcelona o seu apoio à causa da independência da Catalunha e o direito à realização de um referendo de autodeterminação, proibido pelas instituições espanholas.</p> <p>Os manifestantes gritaram palavras de ordem a favor da independência desta Comunidade Autónoma espanhola e pediram o voto a favor do sim no referendo, que Barcelona quer realizar no próximo dia um de outubro.<br /> <br /> <strong>A “Diada” da Catalunha</strong><br /> <br /> Assinalando-se a “Diada, como é conhecido o dia que assinala a conquista de Barcelona pelo rei de Espanha Filipe V em 1714 depois de um cerco de 14 meses, tem sido utilizada nos últimos anos para defender a causa da independência.<br /> <BR><br /> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="es" dir="ltr">Puigdemont, abierto “hasta el último minuto” a negociar con Rajoy el 1-O <a href="https://t.co/hJFt3pTX74">https://t.co/hJFt3pTX74</a></p>— <span class="caps">EFE</span> Noticias (<code>EFEnoticias) <a href="https://twitter.com/EFEnoticias/status/907302483499917312">11 de setembro de 2017</a></blockquote> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script> <BR> A festa deste ano serviu para mostrar nas ruas a força dos movimentos separatistas que pretendem realizar um referendo sobre a independência da Catalunha, proibido pelas instituições espanholas. <br> *Um referendo que os catalães preferem dentro de um quadro legal* <br> Uma maioria de catalães apoia a realização de um referendo, mas uma sondagem indica que mais de metade da população apoia que a consulta seja organizada dentro do quadro legal e não apenas por uma das partes, com a oposição do Governo central. <BR> <blockquote class="twitter-tweet" data-lang="pt"><p lang="es" dir="ltr">Miles de personas se suman a la marcha independentista en el centro de Barcelona <a href="https://t.co/fuWBf2xzBi">https://t.co/fuWBf2xzBi</a></p>— EFE Noticias (</code>EFEnoticias) <a href="https://twitter.com/EFEnoticias/status/907260482708496384">11 de setembro de 2017</a></blockquote><br /> <script async src="//platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script><br /> <BR><br /> Os independentistas defendem que cabe apenas aos catalães a decisão sobre a permanência da região autónoma em Espanha, enquanto Madrid se apoia na Constituição e diz que a decisão tem de ser tomada pela totalidade dos espanhóis.</p> <p>Um inquérito publicado em julho último pelo Centro de Estudos de Opinião do governo catalão revelava que os partidários da independência desta região espanhola desceram para 41,1% e os que são contrários à autonomia subiram para 49,4%.<br /> <br /> <strong>Tribunal Constitucional suspende referendo</strong><br /> <br /> O Tribunal Constitucional espanhol suspendeu todas as leis aprovadas pelo Parlamento e pelo Governo da Catalunha para dar cobertura legal ao referendo.</p> <p>O presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, afirmou que “qualquer ação contra a Constituição de um Estado-membro é uma ação contra o quadro institucional da União Europeia”.</p> <p>Os partidos separatistas têm uma maioria de deputados no parlamento regional da Catalunha desde setembro de 2015, o que lhes deu a força necessária, em 2016, para declararem que iriam organizar este ano um referendo sobre a independência, mesmo sem o acordo de Madrid.</p> <p><strong>Com Lusa</strong></p>