Última hora

Londres em alerta máximo

Governo britânico diz que presença de agentes nas ruas e transportes públicos vai aumentar.

Em leitura:

Londres em alerta máximo

Tamanho do texto Aa Aa

A Grã-Bretanha elevou o nível de alerta para crítico, o nível mais elevado. O anúncio foi feito pela Primeira-Ministra Theresa May que adiantou que nos próximos dias polícias armados e militares serão vistos nas ruas.

O anúncio da chefe do executivo foi acompanhado de um apelo por parte do responsável da polícia anti-terrorismo que apelo ao recurso aos militares a fim de melhor aproveitar os recursos da polícia.

O autoproclamado grupo Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelo atentado desta sexta-feira no metro de Londres no qual 29 pessoas ficaram feridas. O anúncio foi feito pela agência de notícias Amaq associada ao grupo extremista.

O atentado, na estação de Parsons Green, foi descrito pelas autoridades como um “atentado falhado” depois de uma bomba artesanal ter explodido de manhã dentro de um balde, escondido no interior de um saco de plástico de uma conhecida rede de supermercados.

Segundo a Polícia Metropolitana de Londres, o engenho detonou parcialmente, pelo que a “bola de fogo” descrita por alguns dos utentes do metro não foi suficiente para provocar vítimas mortais nem danos consideráveis no interior da carruagem da composição.




Segundo o Serviço Nacional de Saúde britânico (NHS, sigla em inglês), as pessoas que chegaram ao hospital são feridos ligeiros.

Momentos de pânico depois de uma “bola de fogo”

Depois da explosão, vários passageiros abandonaram rapidamente o local, no momento em que o comboio se preparava para abandonar a estação de Parsons Green, no oeste de Londres, no bairro de Fullham, bairro maioritariamente residencial, com uma atividade comercial importante.

Segundo Mark Rowley, agente da unidade de contra-terrorismo , “o engenho foi feito de forma improvisada”.

A Polícia Metropolitana de Londres explicou que a investigação levada a cabo inclui a coordenação com os serviços secretos britânicos, o MI5.

May apela a uma vida “com normalidade” em Londres

A primeira-ministra britânica, Theresa May, apelou a que os residentes da capital britânica continuassem com as suas vidas com normalidade:

“O nível de ameaça terrorista continua elevado, o que significa que a possibilidade de ataques é enorme”, disse a primeira-ministra britânica.

“ Teremos isso em conta à medida que a investigação avança, mas as pessoas deverão continuar com a vida delas, ainda que vigilantes. Quem vier a Londres notará uma presença mais forte da parte da polícia na cidade e rede de transportes. Enfrentamos uma ameaça severa, mas juntos, vamos derrotá-los”, concluiu Theresa May.




Presidente Trump em conversa telefónica com May

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, falou ao telefone com a primeira-ministra britânica depois do ataque.

Donald Trump disse a Theresa May que os Estados Unidos ofereciam toda a ajuda e cooperação necessárias na luta contra o terrorismo.

Num comunicado, a Casa Branca explicou que a cooperação deverá continuar em todos os aspetos da luta contra as atividades terroristas a nível internacional e no combate ao extremismo.

Com Reuters