Última hora

"Zeitz MOCAA": A cultura africana armazenada num antigo silo

Um antigo silo de cereais transformado em museu, na Cidade do Cabo.

Em leitura:

"Zeitz MOCAA": A cultura africana armazenada num antigo silo

Tamanho do texto Aa Aa

Um antigo silo de cereais transformado em museu. A Cidade do Cabo, na África do Sul, inaugurou o “Zeitz MOCAA”, o maior museu de arte contemporânea do continente. São nove andares, com 80 galerias dedicadas a artistas africanos, num cenário único.

Um edifício do centenário transformado pelo arquiteto britânico Thomas Heatherwick:“Era muito importante que um museu aqui em África não seguisse o modelo de um museu de arte europeu, americano ou asiático. Tivemos esta oportunidade extraordinária de ter o primeiro museu africano de arte contemporânea de toda a África. Então, a questão foi como ter algo muito especial que se assemelhasse a este continente? Queríamos um museu que ainda não existia”.

Um projeto que teve início há nove anos com financiamento privado e que demonstra o aumento do interesse do mundo pela arte africana. Estão em exibição obras de artistas de vários países do continente.
O museu abriga a coleção do empresário alemão Jochen Zeitz. O “Zeitz MOCAA” também vai acolher exposições temporárias – a cultura africana fica agora armazenada neste antigo silo.