Última hora

Última hora

Sábado de manifestações contra e a favor da independência em Barcelona

Protestos tiveram lugar a pouco mais de um mês das eleições regionais anticipadas, impostas pelo Governo de Mariano Rajoy.

Em leitura:

Sábado de manifestações contra e a favor da independência em Barcelona

Tamanho do texto Aa Aa

Este foi mais um sábado de protestos contra e a favor da independência na Catalunha, no centro de Barcelona.

Os manifestantes contra a emancipação da região autónoma exigiram a detenção presidente regional afastado, Carles Puigdemont, atualmente na Bélgica, onde aguarda a decisão da Justiça Federal relativamente ao mandado de detenção europeu emitido por Madrid.

Do lado dos que estão contra a independência, ouviu-se o hino nacional na capital catalã e defendeu-se a estabilidade política e económica com bandeiras nacionais espanholas e bandeiras da catalunha. Alguns manifestantes culparam os independentistas e os que definiram como “antissistema” pela fuga de empresas da região.

Não muito longe, grupos a favor da independência caracterizaram a outra manifestação que tinha lugar em Barcelona como “fascista”.

Os manifestantes explicaram estar contra o que definiram como “o retorno do franquismo às ruas da Catalunha” e pediram “liberdade” para a região.

Protestos a pouco mais de um mês das eleições regionais anticipadas

As manifestações tiveram lugar quando falta pouco mais de um mês para as eleições regionais anticipadas, impostas pelo Governo espanhol. Eleições numa Catalunha acima de tudo, polarizada.

Segundo as últimas sondagens, o partido Esquerda Republicana da Catalunha poderia ser o grande vencedor, enquando a lista a favor da independência, Junts per Catalunya, encabeçada por Carles Puigdemont, poderia ser a grande derrotada.

Espanha vive, desde outubro, uma crise política sem precedentes desde a chamada Transição Democrática dos anos 70, que marcou o fim do regime franquista e início de uma monarquia constitucional.

O novo Estado espanhol permitiu a criação 17 regiões e duas cidades autonomas, entre as quais, a Catalunha, considerada como uma das nacionalidades históricas, conceito plasmado na Constituição Espanhola de 1978.