Última hora

Última hora

Kaká pendura as botas sem se afastar do futebol

Em leitura:

Kaká pendura as botas sem se afastar do futebol

© Copyright :
Twitter/ @Kaka
Tamanho do texto Aa Aa

Kaká anunciou este domingo o adeus aos relavdos enquanto futebolista profissional. Formado no São Paulo, campeão do Mundo em 2002 e eleito o melhor futebolista do planeta em 2007 (prémio FIFA e Bola de Ouro), o brasileiro pendura as botas aos 35 anos.

É o momento de encerrar a minha carreira como jogador profissional

Kaká Futebolista brasileiro

Pelas redes sociais, Ricardo Izecson dos Santos Leite, de nome de batismo, disse ter tido "muito mais" do que imaginou e assumiu-se pronto "para a próxima jornada".

Em entrevista à TV Globo, emitida este domingo, Kaká diz ter tomado a decisão de forma "muito consciente".

"Cheguei à conclusão de que é o momento de encerrar a minha carreira como jogador profissional. Agora vou preparar-me para continuar no futebol e ter outra função", afirmou o brasileiro, admitindo vir a ser "manager" ou "diretor desportivo", num lugar "entre o campo e o clube."

Depois de ter feito o último jogo oficial a 04 de novembro, com a camisola dos norte-americanos dos Orlando City, na MLS, sem ter aceite renovar o contrato, as dúvidas sobre o futuro jogador adensaram-se.

"Eu precisava de um tempo para pensar e tomar uma decisão muito tranquila, muito calma e muito consciente do que eu gostaria para minha vida profissional", explicou o campoeão do Mundo de 2002, revelando ter refeltido junto das pessoas mais próximas: "Os meus pais, meu irmão, minha namorada e a esposa do meu irmão."

"São cinco pessoas. Pedi para fazermos um período de orações. Estudando e vendo o que acontecia nesse momento. Fui para a Europa para ver alguns jogos, sentir a emoção do jogo ali, onde o futebol realmente tem seu ponto máximo. Muito consciente, cheguei à conclusão que é o momento de encerrar a minha carreira como jogador profissional", assumiu.

Kaká deixa o nome no Olimpo do futebol. O momento alto do brasileiro aconteceu na época de 2006/07, ao serviço do AC Milan.

Os italianos sagraram-se campeões europeus, venceram a Supertaça Europeia e o Mundial de Clubes. No final, Kaká foi eleito o melhor jogador do ano para a FIFA e recebeu ainda a Bola de Ouro, da France Football.

A então grande estrela do AC Milan foi o último vencedor destes prémios individuais antes do despique a dois que tem sido protagonizado desde então por Cristiano Ronaldo e Lionel Messi.

Após um longo namoro, Kaká transferiu-se no verão de 2009 para o Real Madrid, por 67 milhões de euros, e dias depois seria já anfitrião da chegada ao clube espanhol de outro ilustre lusófono: Cristiano Ronaldo.

O brasileiro não repetiu em Madrid a felicidade conseguida em Milão. Teve de ser operado a um joelho em agosto de 2010 e passou oito meses afastado. Regressou em janeiro de 2011, já com José Mourinho â frente da equipa e a descrever o regresso de Kaká como o de uma grande contratação parta a equipa.

Kaká só viria a celebrar duas conquista em Madrid: foii campeão na época de 2011/12 e ganhou a Taça do Rei em 2012.

Regressaria a Milão, a troco apenas do pagamento mediante as prestações e as conquistas desportivas. Assinou por dois anos com os "rossoneri", mas ficou apenas um.

Após curta escala no São Paulo, por empréstimo devido a não poder jogar de imediato nos Estados unidos, foi apresentado em apoteose no Orlando City, onde teria uma cláusula que impunha ser o jogador mais bem pago da MLS (recebeu pelo último ano 7,16 milhões de dólares).

Top 10 dos mais bem pagos da MLS
Top 10 dos mais bem pagos da MLS MLS oficial

Pela seleção do Brasil, Kaká somou 93 jogos, marcou 29 golos, foi campeão do Mundo em 2002, com Scolari, e conquistou duas Taças das Confederações.

Aos 35 anos, Kaká pendura as botas e assume o desejo de vestir o fato e gravata dos diretores desportivos.