Última hora

Última hora

"Bocuse vinha cá todos os domingos e falava com todos"

Em leitura:

"Bocuse vinha cá todos os domingos e falava com todos"

Tamanho do texto Aa Aa

Paul Bocuse é uma alma viva da gastronomia francesa.

Um dia depois da sua morte, o "Les Halles de Lyon Paul Bocuse", mercado de comida com o nome do próprio, a tristeza parece ficar à porta.

As paredes do mercado são o coração de gastronomia em Lyon. Paul Bocuse era frequentador regular do mercado. Escolhia os seus próprios produtos e era conhecido por muitos comerciantes que o recordam com um sorriso na cara.  

 Reneé Richard era uma deles. A famosa queijeira foi "lançada" pelo chef Paul Bocuse, que fez dos queijos "Richard" conhecidos em todo o país. A mestre recorda o chef como uma pessoa humilde.

"Ele vinha cá todos os domingos e falava com todos. As pessoas que passavam por ele reconheciam-no, claro. Ele era uma estrela mas não vivia como uma estrela. Era muito aberto para toda a gente, até respondia às perguntas das pessoas. Lidava com todos." disse Reneé Richard, enquanto embalava queijos do lado de dentro da banca.

O Chef era conhecido no mundo inteiro mas mantinha a tradição francesa nos pratos que mais cozinhava. Fez do "Frango de Bresse" das receitas mais famosas do cardápio.

Maurice Trolliet, comerciante a quem Paul Bocuse comprava os frangos todos as semanas, lembra como é que o famoso chef escolhia cada animal.

"Paul era o rei do frango de Bresse, insistia na qualidade e no sabor deste produto. Examinava o olho da ave e as penas do pescoço, segurando-as nas mãos."recorda o talhante. 

Paul Bocuse morreu com 91 anos, deixou a marca não só neste mercado em Lyon, mas um pouco por todo o mundo.

O funeral do mais famoso chef francês é esta sexta-feira, em Lyon.