This content is not available in your region

Países europeus anunciam planos de desconfinamento

Access to the comments Comentários
De  Patricia Tavares
Países europeus anunciam planos de desconfinamento
Direitos de autor  AP   -  

Passo a passo, os países europeus anunciam os planos de desconfinamento, mesmo se o regresso a uma vida normal se adivinhe demorado. França está em confinamento desde o dia 17 de março e o país anuncia o levantamento do bloqueio de forma progressiva e controlada.

Estamos a preparar-nos, gradualmente, para o dia 11 de maio, monitorizando todos os indicadores, e fazendo a verificação departamento por departamento, para que possamos dar início às operações nessa data. Se os indicadores não estiverem reunidos, não faremos o desconfinamento a 11 de maio, ou será feito com mais rigor.
Edouard Philippe
Primeiro-ministro de França

Espanha também planeia a transição para um regresso a uma nova normalidade no final de Junho. Como a pandemia afetou as regiões espanholas de forma diferente, o primeiro-ministro do país, Pedro Sánchez, anunciou um plano "gradual" aprovado na reunião do Conselho de Ministros. O desconfinamento vai acontecer em quatro fases sem datas fixas e cada uma com um maior nível de abertura. O ano letivo será retomado em setembro.

Segundo o primeiro-ministro da Grécia, Kyriakos Mitsotakis, o desconfinamento progressivo vai ter lugar a partir de 4 de maio - começando pelo pequeno comércio, salões de beleza e barbearias.

A saída da quarentena vai acontecer passo a passo. Ninguém pode descartar um possível regresso da ameaça. O nosso objetivo será localizá-la rapidamente, para que quaisquer novas restrições sejam feitas a nível local e não afetem o país inteiro. Na próxima segunda-feira, 4 de maio, serão levantadas as restrições à circulação de cidadãos. Por outras palavras, as autorizações por escrito serão canceladas.
Kyriakos Mitsotakis
Primeiro-ministro da Grécia

O país levantou as medidas no dia 23 de março, para travar a propagação do novo coronavírus e o confinamento geral paralisou a vida económica da nação.

O estado de emergência em Portugal termina no dia 2 de maio, uma data confirmada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, apela ao esforço cívico e reitera que as medidas de contenção continuam a ser essenciais para ultrapassar a pandemia de Covid-19.