This content is not available in your region

Opositores russos criticam nova lei eleitoral

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Opositores russos criticam nova lei eleitoral
Direitos de autor  AP Photo/Dmitri Lovetsky, file   -  

A Rússia adotou uma nova lei que, segundo os críticos do Kremlin, tem como objetivo neutralizar a oposição antes das legislativas de setembro, ao mesmo tempo que se multiplicam as detenções e operações contra detratores do regime.

Para o ex-magnata russo e figura emblemática da oposição contra Vladimir Putin, Mikhail Khodorkosvky, atualmente a viver no exílio, a razão é clara:

"O governo tem naturalmente medo dos protestos potenciais que poderão ter lugar se houver uma fraude demasiado flagrante. É por isso que está a tentar limpar o panorama político antes das eleições."

As autoridades detiveram esta terça-feira o ex-deputado Dmitri Gudkov, próximo do líder da oposição encarcerado Alexei Navalny. Ao mesmo tempo, eram conduzidas buscas nas residências de vários outros militantes da oposição.

Na segunda-feira ao fim do dia, as forças da ordem removeram de um avião que se preparava para levantar voo em São Petersburgo Andrei Pivovarov, ex-diretor da organização Open Russia, fundada por Khodorkovsky. 

Pivovarov é acusado de "participar nas atividades de uma ONG estrangeira reconhecida como indesejável", um crime passível de uma pena de seis anos de prisão.

O texto adotado esta quarta-feira pela Câmara alta do Parlamento russo, com 146 vozes a favor e apenas uma contra, proibe a candidatura, em qualquer eleição, de pessoas que colaborem com organizações consideradas como "extremistas ou terroristas" pelo Kremlin.