This content is not available in your region

Os nómadas digitais da Sérvia

De  Helen Elfer
Os nómadas digitais da Sérvia
Direitos de autor  Photo by Alizée Baudez on Unsplash   -  

Amor, liberdade, aventura, cultura... Os nómadas digitais na Sérvia podem ter razões diferentes para  escolherem o país como base de trabalho remoto, mas é fácil ver como tantos se tornam rapidamente apaixonados pelo estilo de vida.

Segundo um relatório recente da Iniciativa Digital Sérvia e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), os baixos custos de vida, as boas velocidades da Internet, o interessante cenário de arranque e muitos espaços de coworking estão entre os maiores atrativos. Acrescente-se a vida noturna, a comida e temos um destino de trabalho remoto extremamente apelativo, quer para estadias de longa ou curta duração. O facto de a Sérvia estar fora da Zona Schengen é um bónus adicional para aqueles que são afetados pelos requisitos de visto.

A euronews apanhou três nómadas digitais que nos contaram do que mais gostam em trabalhar e viver na Sérvia.

Johannes Hindler, Áustria

DR
Johannes Hindler foi para a Sérvia por amorDR

Para o austríaco Johannes Hindler, foi um romance inesperado que provocou uma completa mudança de vida. "Conheci Milica, de Belgrado, numa viagem de fim de semana aqui, apaixonámo-nos, voltei e acabei por me mudar para cá", explica.

"Criei uma agência digital que funciona apenas à distância. Os nossos clientes estão na Áustria, no Reino Unido e na Irlanda. Trabalhar de onde e quando eu escolho é fantástico. Escolhi Belgrado por amor, mas é também um local muito bom, pois ainda está perto da Europa Central, os custos de vida são muito baixos em comparação com Viena e as pessoas são muito acolhedoras e simpáticas. Eu recomendaria, sem duvida, Belgrado para trabalhar à distância".

Aleksandar Zeba, Alemanha

asecretcalledbosnia/
Aleksandar Zeba em Romaasecretcalledbosnia/

Aleksandar Zeba é também um grande fã de trabalhar de Belgrado. Para ele, a atração era conhecer a própria cidade. Um nómada digital cuja base é a Alemanha, passou algum tempo a trabalhar em todos os Balcãs, a escrever blogues e a vender produtos e livros através de plataformas online.

"Queria passar algum tempo em Belgrado, pois tem um encanto especial e uma grande história. Tem locais frescos como o bairro de Savamala e a cozinha é um sonho para qualquer amante de gastronomia. Belgrado é ainda algo como uma dica de iniciados e não está muito cheio de turistas. Gosto do ritmo da cidade e do estilo de vida balcânico. Tudo é um pouco mais descontraído e não tão stressante como na Europa Ocidental".

O equilíbrio trabalho-vida é muito importante para Aleksandar. Segundo ele, os lugares mais bonitos de Belgrado ajudaram-no a encontrar esse equilíbrio: "Se quiser combinar trabalho com tempo livre, vai adorar Belgrado. Foi o que eu senti. A cidade está na confluência dos rios Sava e Danúbio e tem muitos pontos verdes e parques, tais como o Kalemegdan. Ajudou-me muito quando por vezes passava demasiadas horas atrás do computador".

Acrescenta que Belgrado tem vantagem sobre outros locais populares de trabalho remoto: "Se estás cansado dos pontos nómadas superlotados como Bali ou Banguecoque, este é o lugar para ir". É também a metrópole secreta das festas na Europa! Os preços são muito mais baratos do que em cidades como Roma, Paris ou Berlim, o que o torna acessível mesmo para os nómadas digitais com meios limitados".

Enquanto o burburinho de Belgrado e a conveniência da grande cidade fazem dela uma escolha óbvia para a maioria dos nómadas digitais na Sérvia, para outros, parte da beleza do trabalho remoto é a oportunidade de deixar a vida urbana para trás por completo.

Hecgli Álvarez, Venezuela

DR
Hecgli no Monte RdanjDR

Hecgli Álvarez é de Caracas, na Venezuela, e vive na Sérvia desde 2014. Farta da vida na capital, recentemente encontrou o que procurava em Vrmdza, uma aldeia a algumas horas, de carro, a sul da cidade.

"Um amor romântico com um sérvio trouxe-me aqui no início, depois o meu coração foi completamente apanhado por este belo país e por cidadãos amigos", diz ela.

A descrição de Hecgli do seu novo estilo de vida rural soa totalmente feliz: "Em Vrmdza não há rotina diária, para além do meu chá matinal sagrado", diz.

O resto do dia envolve "fazer alguma respiração, contemplação e ioga, chegar ao trabalho". As caminhadas da noite são as minhas preferidas".

Conta que a ligação com a natureza tem sido uma das melhores coisas sobre viver em Vrmdza. "Sinto-me mais saudável, tenho água limpa, colho produtos biológicos e como comida sérvia feita à mão. Os meus vizinhos são ótimos e sinto-me sempre segura". Se procura a melhor escapadela das cidades povoadas, esta é uma boa opção para qualquer pessoa com espírito aventureiro".

Ser um nómada digital aqui é uma questão de liberdade: "Quando se é um nómada digital, andamos ao nosso próprio ritmo. Costumava trabalhar de noite, depois troquei e agora levanto-me cedo para trabalhar - às 8 horas o meu chá e o meu portátil estão prontos. Se há uma palavra que me define é liberdade - viajar deixa-nos voar tão livres como um pássaro, para onde quer que queiramos ir", conta.