This content is not available in your region

Biden acusa Trump no aniversário da invasão do Capitólio

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Biden acusa Trump no aniversário da invasão do Capitólio
Direitos de autor  Greg Nash/The Hill

Os Estados Unidos assinalaram esta quinta-feira o primeiro aniversário da invasão do Capitólio, perpetrada por centenas de apoiantes do ex-presidente Donald Trump, que se saldou em cinco mortos e mais de 140 feridos.

O atual chefe de Estado, Joe Biden, escolheu a Sala das Estátuas do emblemático edifício para pronunciar o seu discurso:

"Não era um grupo de turistas. Foi uma insurreição armada. Eles não queriam defender a vontade do povo. Estavam a tentar negar a vontade do povo. Pretendiam impôr, não pretendiam defender uma eleição livre e justa. Estavam a tentar derrubá-la. Não pretendiam salvar a causa da América, mas sim subverter a Constituição."

Uma intervenção num tom grave e virulento, que não poupou acusações contra o predecessor:

"Mesmo antes do primeiro voto ser depositado, o anterior presidente já semeava a dúvida sobre os resultados eleitorais. Ele construiu a sua mentira ao longo de meses. Não se baseava em quaisquer factos. Ele estava apenas à procura de uma desculpa, um pretexto para encobrir a verdade. Ele não é apenas um ex-presidente. É um ex-presidente derrotado. Derrotado por uma margem de mais de sete milhões de votos."

Biden acusou os apoiantes de Trump de tentarem "reescrever a História".

O ex-presidente anulou, por seu lado, a conferência de imprensa que tinha previsto na sua mansão de luxo na Flórida.