This content is not available in your region

Biden acusa Trump no aniversário da invasão do Capitólio

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Biden acusa Trump no aniversário da invasão do Capitólio
Direitos de autor  Greg Nash/The Hill

Os Estados Unidos assinalaram esta quinta-feira o primeiro aniversário da invasão do Capitólio, perpetrada por centenas de apoiantes do ex-presidente Donald Trump, que se saldou em cinco mortos e mais de 140 feridos.

O atual chefe de Estado, Joe Biden, escolheu a Sala das Estátuas do emblemático edifício para pronunciar o seu discurso:

"Não era um grupo de turistas. Foi uma insurreição armada. Eles não queriam defender a vontade do povo. Estavam a tentar negar a vontade do povo. Pretendiam impôr, não pretendiam defender uma eleição livre e justa. Estavam a tentar derrubá-la. Não pretendiam salvar a causa da América, mas sim subverter a Constituição."

Uma intervenção num tom grave e virulento, que não poupou acusações contra o predecessor:

"Mesmo antes do primeiro voto ser depositado, o anterior presidente já semeava a dúvida sobre os resultados eleitorais. Ele construiu a sua mentira ao longo de meses. Não se baseava em quaisquer factos. Ele estava apenas à procura de uma desculpa, um pretexto para encobrir a verdade. Ele não é apenas um ex-presidente. É um ex-presidente derrotado. Derrotado por uma margem de mais de sete milhões de votos."

Biden acusou os apoiantes de Trump de tentarem "reescrever a História".

O ex-presidente anulou, por seu lado, a conferência de imprensa que tinha previsto na sua mansão de luxo na Flórida.