This content is not available in your region

Chega feliz com crescimento lamenta continuidade de António Costa

Access to the comments Comentários
De  Bruno Sousa
André Ventura satisfeito com projeções
André Ventura satisfeito com projeções   -   Direitos de autor  RUI MINDERICO/ LUSA   -  

Fundado em abril de 2019, o Chega nem precisou de três anos de existência para se assumir como a terceira força política em Portugal. Depois de ter eleito um deputado nas legislativas de 2019, o partido liderado por André Ventura é apontado pelas sondagens à boca das urnas como um dos grandes vencedores nas legislativas antecipadas desde domingo.

Positivo para o Chega, mau para o país se António Costa voltar a ser primeiro-ministro.
André Ventura
Presidente do Chega

De acordo com a projeção da CESOP - Universidade Católica Portuguesa para a RTP, a extrema direita portuguesa deverá eleger entre 7 e 13 deputados. André Ventura não demorou a reagir e mostrou-se cauteloso, ainda assim congratulou-se com o crescimento do partido:

“_Podíamos ficar felizes com o crescimento do Chega, e ficamos porque as pessoas perceberam a mensagem_”.

Ventura referiu, no entanto, que a noite também ficava por “_um dado menos positivo_”, uma vez que "_a__parentemente, António Costa renovará uma maioria para poder governar. Portanto, eu diria que temos uma boa notícia e uma má notícia_”.