This content is not available in your region

Parlamento Europeu apela à Sérvia a reconsiderar posição face à Rússia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Presidente sérvio Aleksandar Vučić fala com a imprensa à chegada a uma cimeira europeia em Bruxelas, quinta-feira, 23 de junho de 2022.
Presidente sérvio Aleksandar Vučić fala com a imprensa à chegada a uma cimeira europeia em Bruxelas, quinta-feira, 23 de junho de 2022.   -   Direitos de autor  Olivier Matthys/Copyright 2022 The Associated Press. All rights reserved.

O Parlamento Europeu apela à Sérvia a reconsiderar a posição em relação à Rússia.

Os eurodeputados aprovaram, esta quarta-feira, um relatório de avaliação anual relativo à Sérvia, que lamenta que Belgrado esteja desalinhado em relação às sanções europeias aplicadas na sequência da invasão russa da Ucrânia, como explicou à Euronews o relator Vladimír Bilčík, eurodeputado eslovaco do grupo do Partido Popular Europeu.

"Penso que há uma urgência real, particularmente no caso da Sérvia, de fazer algumas escolhas domésticas importantes, porque é um país que olhou sempre em direções diferentes quando se trata de política externa. Agora é hora de decidir de que lado está. Espero que a Sérvia tome uma decisão clara em direção à Europa", referiu Bilčík.

Há cerca oito anos que a Sérvia mantém as negociações de adesão à União Europeia, mas a posição em relação à Rússia pode trazer mais obstáculos ao diálogo.

O relatório também lamenta a falta de progresso e retrocessos em matéria de Estado de Direito, liberdade de imprensa e combate à corrupção.

O Parlamento Europeu apelou ainda à Sérvia para trabalhar na normalização das relações com o Kosovo e deixou uma mensagem a Pristina.

"No que diz respeito à relação com a Sérvia, incluímos a necessidade de melhorar relações não só a nível político. Também prestámos atenção especial ao nível dos cidadãos: apoiando o contacto pessoa a pessoa, multilinguismo e a integração económico-social dos sérvios do Kosovo", lembrou Viola Von Cramon-Taubadel, eurodeputada alemã do Grupos dos Verdes/Aliança Livre Europeia.

A guerra na Ucrânia trouxe um novo impulso ao alargamento do bloco.

De acordo com os eurodeputados envolvidos no processo, este é o momento de fazer reformas para avançar no caminho de adesão.