Última hora

Última hora

Uma Capital Europeia da Cultura renasce em pleno Século XXI

 Uma Capital Europeia da Cultura renasce em pleno Século XXI
Direitos de autor
Battilomo/Centola/Danzi/Polici
Tamanho do texto Aa Aa

Num dia de inverno frio, os moradores reúnem-se numa praça do sul da Itália, à sombra de um convento do século XIII, para levantar uma nova estrutura arquitetónica visionária. É preciso uma aldeia inteira para içar o edifício com um pináculo em tons de terra, embora seja feito de papelão.

Estes aldeões construíram esta peça, projetada pelo artista Olivier Grossetête, com as suas próprias mãos, tijolo de papel por tijolo de papel. É um testemunho da cidadania cultural subjacente à história da renovação de Matera, a Capital Europeia da Cultura de 2019.

A construção do monumento de papelão fez parte das comemorações de 2018, antes de Matera 2019 se tornar a Capital da Cultura. Uma forma única de reforçar a tradição da cidade de fabricar carros alegóricos em papier-mâché para o Festival da Padroeira "Madonna della Bruna".

No decorrer do próximo ano, as exposições e os eventos que vão ganhar vida nesta cidade em que o Neolítico abraça a Era Digital vão basear-se na força única dos alicerces da comunidade por forma a apresentar ao mundo a sua cultura inovadora de reinvenção.

O povo de Matera participará numa apresentação do Purgatório, uma homenagem a Dante Alighieri, inspirada no seu poema do século XIV, a Divina Comédia.

© Battilomo/Centola/Danzi/Polici

Cerca de 200 moradores também participarão em Viver a Ópera, numa produção ao ar livre de Cavalleria Rusticana de Pietro Mascagni, com a colaboração da mais antiga casa de ópera europeia, o Teatro San Carlo di Napoli.

Uma "Cidade de Pedra" na Idade da Pedra

Aninhada entre o bico e o calcanhar da "bota", na região da Basilicata, em Itália, Matera é talvez mais conhecida pelos Sassi, edifícios de pedra construídos em terreno muito íngreme há mais de 9000 anos. Esta deslumbrante paisagem ajudou a garantir em 1993 um lugar na lista do Património Mundial da UNESCO.

Matera 2019 abre com a exposição Ars Excavandi, que destaca a arte rupestre, a arquitetura e a arqueologia da cidade. Uma viagem empírica - desde o Paleolítico até o século XXI – que leva os visitantes aos vários locais de Matera, incluindo alguns dos hypogeum (câmaras subterrâneas) da "cidade subterrânea" e a incríveis ecossistemas rupestres de vários continentes.

A exposição Estratigrafia - O Observatório do Antropoceno investiga uma nova era geológica após o período Holoceno, identificando mudanças nos recursos do planeta e na atividade humana. Também oferece um vislumbre das primeiras povoações de Matera, uma das cidades continuamente habitadas mais antigas do mundo. Mais para a frente, a exposição analisa a ciência atual de observação da Terra.

A ancestral paisagem de pedra dos Sassi valeu a Matera o apelido de "a segunda Belém", um fato claramente não esquecido por realizadores da época. A cidade foi o local de filmagens de A Paixão de Cristo e do remake de Ben-Hur com Morgan Freeman em 2016.

Contos de Dois Renascimentos

Florença, Roma, Milão e Veneza são sinónimos do Renascimento, no entanto, pinturas, esculturas, livros, tapeçarias, mapas e outros tesouros antigos de outros lugares do sul da Europa oferecem uma perspetiva alternativa sobre o período.

© Battilomo/Centola/Danzi/Polici

Através de mais de 180 peças de arte, a exposição O Renascimento Como Visto do Sul realça a época mais vibrante da civilização ocidental durante os séculos XV e XVI através de Matera, do sul da Itália e de outras localidades mediterrânicas.

Embora rica em relíquias, de frescos bizantinos a estátuas do século XVII, Matera viveu tempos de desespero nos anos 50. Assim, o então primeiro-ministro de Itália deslocou os cerca de 16.000 residentes para habitações modernas nas proximidades, deixando para trás uma cidade-fantasma de calcário à espera de ser recuperada.

Mas um espírito de ressurgimento revelou-se ao longo das décadas. Nos anos 80, o governo ofereceu subsídios para a recuperação de Matera. Jovens empreendedores italianos mudaram-se para lá. Os artesãos locais apropriaram-se do reino das cavernas com os seus ateliers escarpados, alguns aplicando ao seu ofício à arte indígena do cucù cerâmico, um apito em forma de galo.

Um dinâmico e moderno Renascimento italiano foi posto em marcha, na sua maioria pelas mãos dos habitantes da cidade. O seu sucesso pode ser visto hoje, em tudo, desde cavernas remodeladas que se transformaram em Hotéis Boutique a incubadoras de tecnologia, museus, galerias e residências.

O tema do programa Ancient Future de Matera 2019 inclui…

Cosmic Jives/A Banda Sonora de Apollo — A lenda da música eletrónica, Brian Eno, orquestra uma mistura de imagens e paisagens sonoras do seu álbum Apollo, que celebra o 50º aniversário da chegada à lua da Apollo 11

Poetry of Primes — Uma exposição, workshops e conferências destacam a magia da matemática, de Pitágoras a Galileu a obras de arte de M.C. Escher

Lumen | Social Light — 15 elementos de iluminação vão deslumbrar os visitantes em vários locais de Matera, enquanto workshops convidam os visitantes a criar as suas próprias iluminações para a cidade

A construção de uma Vila Global

Os pilares de Matera 2019 dão vida ao lado inventivo e em constante evolução da cidade e dos seus moradores. O projeto I-DEA acolherá exposições multidisciplinares de arte, focadas no património cultural, artístico e antropológico de Basilicata, com curadoria de criadores italianos e internacionais. Além disso, o êxodo dos anos 50 dos Sassi de Matera para novos locais será imortalizado numa produção original composta por narrativas orais.

© Open Design School - Matera 2019

O outro projeto pilar, Open Design School, servirá como um laboratório criativo, onde os cidadãos e os participantes estrangeiros podem partilhar ideias sobre arte, ciência e tecnologia. Dessa partilha, nascerá o design, a produção e a construção de Matera 2019.

© Open Design School - Matera 2019

Os visitantes podem também tornar-se parte da cidade como "Temponautas" - exploradores honorários de eventos. Viajantes curiosos e inquisitivos podem fazê-lo comprando um passaporte Matera 2019 de cidadania temporária, que lhes dá acesso, 365 dias, a todas as produções, eventos e exposições.

A linguagem universal da música irá unir os visitantes locais e internacionais no dia 19 de janeiro de 2019, para a Cerimónia de Abertura de Matera Capital Europeia da Cultura, onde todos podem desfrutar de performances de talentos regionais e globais.

Becos, vias principais e praças vão ressoar com os sons de fanfarras de toda a Basilicata e das outras Capitais Europeias da Cultura.

Mas talvez sejam as atividades do dia seguinte que melhor incorporam o espírito de cidadania cultural da Matera 2019 e o seu alcance pelo mundo.

No dia 20 de janeiro, bandas da zona encontrar-se-ão com os seus pares musicais estrangeiros para apresentações conjuntas únicas em cada uma das respetivas praças das cidades de toda a Basilicata, criando uma atmosfera inspiradora de uma aldeia verdadeiramente global.

Descubra mais eventos em Matera em 2019.

Matera 2019 está cheia de oportunidades de ligação e apreciação coletiva da rica cultura da cidade…

Ka art — Uma série de incursões no imaginário e nas histórias; de conversas com escritores/artistas a um jantar/performance híbrido com as comunidades locais

Rivelation Revelation Rid — Participe numa oficina guiada e contribua para uma peça de sensibilização ambiental no leito do rio Gravina.

The Atlas of the City’s Emotions — Explore a cidade através de um mapa interativo composto de memórias de Matera

Volunteer 2019 — Torne-se parte integrante da Matera 2019, doando tempo às festividades