Última hora
This content is not available in your region

A WorldSkills Russia cria novas possibilidades com o lançamento do Future Skills Camp à distância

A WorldSkills Russia cria novas possibilidades com o lançamento do Future Skills Camp à distância
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

O desafio à escala mundial da Covid-19 criou oportunidades sem precedentes de repensar a forma como organizamos o emprego e o local de trabalho. A digitalização entrou no quotidiano e o desenvolvimento de tecnologias em parceria passou a ser ainda mais relevante para o mundo como um todo. É chegada a altura de os países trabalharem em conjunto para identificarem novas soluções.

Na edição de 2019 do concurso bienal WorldSkills, em Kazan, a delegação russa da organização internacional WorldSkills apresentou uma nova secção, designada por Future Skills, que se centra em atividades ao nível da economia digital e da alta tecnologia. A iniciativa suscitou um elevado interesse internacional: uma série de países espalhados pelo mundo inscreveu-se num Future Skills Camp organizado entre 23 de junho e 30 de agosto.

Constituída por uma série de módulos de formação prática colaborativa, a iniciativa decorrerá online e permitirá aos participantes demonstrar e reforçar as suas aptidões numa série de competências vocacionais.

A nova realidade exige novas competências

A iniciativa Future Skills é uma resposta às mudanças no local de trabalho suscitadas pela globalização e pela tecnologia, além de ser uma forma de prever e explorar as aptidões que terão procura num mundo digitalizado. Com as máquinas e os robôs a assumirem muitas das tarefas anteriormente executadas por seres humanos, a automação implicará uma maior necessidade de criatividade, literacia digital e capacidade de controlar estes novos processos.

"Ocorrem atualmente muitos debates sobre o futuro e o que ele nos reserva", afirmou Alina Doskanova, diretora de relações internacionais da WorldSkills Russia e delegada técnica do país na WorldSkills International e na WorldSkills Europe. "As rápidas mudanças tecnológicas, o desenvolvimento da inteligência artificial e a digitalização universal contribuem para o advento de aptidões convergentes, bem como para o alargamento da cooperação multissetorial e intersetorial".

Com a emergência das novas tendências tecnológicas e sociais, as necessidades de formação adequada crescem exponencialmente. Satisfazer essas necessidades de forma oportuna constitui um desafio para a educação moderna, e também para a indústria. A iniciativa Future Skills pretende abordar o problema, identificando as formas através das quais o mercado de trabalho irá ser mais afetado no novo panorama digital e ajustando os programas educativos em conformidade.

A componente educativa é fundamental para a atividade da WorldSkills Russia; a colaboração com líderes políticos, instituições académicas e os próprios professores para a introdução dos programas de formação vocacional nos currículos nacionais em todo o mundo é um dos seus principais objetivos.

"Como parte do projeto Future Skills", comentou Doskanova, "estamos a implementar um ciclo completo de desenvolvimento nas seguintes áreas: investigação, desenvolvimento de competências, desenvolvimento de software, testes em concursos e o sistema de formação. Ao mesmo tempo, o nosso enfoque é sempre na pessoa e na sua interação com a tecnologia".

A investigação e desenvolvimento realizados no Future Skills pela WorldSkills Russia está já a influenciar internacionalmente a orientação do movimento: cinco das nove novas competências selecionadas para o Concurso WorldSkills em Xangai, em 2021, (fabrico aditivo, modelação de informação de edifícios, tecnologia de design industrial, desenvolvimento de aplicações móveis e integração de sistemas robóticos) foram também desenvolvidas pela delegação russa.

A flexibilidade é fundamental na resposta aos desafios atuais

Uma parte importante do trabalho da organização passa pelos seus concursos. Com a mudança do contexto da indústria durante a pandemia Covid-19, a WorldSkills Russia desenvolveu um esforço significativo na criação de formatos inovadores.

A organização do Future Skills Camp à distância permite aos participantes de vários países, tais como o Brasil, a China, a África do Sul, a Tunísia e Portugal, e também a Rússia, alargarem os seus conjuntos de aptidões tendo em conta as limitações das circunstâncias atuais. Além disso, cria oportunidades para os países participantes implementarem mais tarde o Future Skills no seio dos seus sistemas educativos e concursos nacionais.

A organização está também a preparar um formato à distância para o oitavo Concurso Nacional da WorldSkills Russia em setembro, bem como para o Future Skills Challenge para os BRICS (grupo de economias emergentes que englobam o Brasil, a Rússia, a Índia, a China e a África do Sul), a decorrer no final de 2020.

"O concurso anual BRICS Future Skills Challenge é um importante marco de reconhecimento da importância do desenvolvimento das aptidões fundamentais, da indústria 4.0 e da educação técnica e vocacional para a agenda de desenvolvimento dos BRICS", comentou Frederico Lamego, diretor executivo de relações internacionais do SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial). "As economias dos BRICS enfrentam desafios diferentes no caminho para o crescimento económico e social sustentável. Da mesma forma, a cooperação entre as instituições dos BRICS através da transferência de conhecimentos e aptidões poderá ajudar a melhorar a qualidade da educação técnica, a base do desenvolvimento industrial e tecnológico".

Sherrie Donaldson, CEO da African Innovators e membro do Grupo de Trabalho Sul-Africano dos BRICS, considera que é fundamental adquirir determinadas aptidões para promover o crescimento económico de qualquer país. "A escassez de aptidões na África do Sul tornou-se um tema central nos debates sobre crescimento económico, prestação de serviços, desenvolvimento social e produtividade", afirmou.

"O défice de aptidões e os desafios associados na África do Sul são exacerbados pelas alterações no mundo do trabalho motivadas pelas mudanças nas tecnologias e nos processos empresariais. As previsões apontam para um impacto global destas alterações que se traduzirá numa perda de 50 a 70% dos empregos atuais devido aos avanços tecnológicos. No entanto, ao mesmo tempo, estão a ser criados muitos empregos novos e desconhecidos. Para que exista crescimento económico, há que identificar e desenvolver as aptidões relevantes do futuro. O Future Skills Camp e o BRICS Future Skills Challenge facilitam a identificação e o desenvolvimento das aptidões requeridas, permitindo que os BRICS parceiros aprendam e se entreajudem".

Planear o futuro

O Future Skills Camp é mais do que apenas um concurso. A sua missão envolve a determinação de criar uma rede de países parceiros Future Skills e um sistema de colaboração entre especialistas espalhados pelo mundo. À medida que se vão identificando as necessidades da indústria, serão adicionadas novas competências e ministrada formação sobre a forma de as incorporar na educação, além de meios para avaliar os resultados.

A gama de aptidões incluída no concurso WorldSkills Kazan de 2019 foi, entretanto, desenvolvida e alargada. Além das que marcarão presença em Xangai, incluem agora: fábrica digital, engenharia de sistemas espaciais, capacidades digitais, Internet das Coisas, tecnologia quântica, segurança dos sistemas de informação empresarial, soluções de software para TI, big data e aprendizagem automática, robótica industrial, soldadura robótica, gestão do ciclo de vida, desafios das equipas de produção, marketing na Internet, operação de drones e robótica para serviços. Serão adicionadas mais ideias sempre que as previsões da indústria registem variações.

Observados por especialistas nas respetivas áreas, os concorrentes do Future Skills Camp executarão projetos de teste em casa ou em recintos adequadamente equipados nos países onde residem. Durante alguns dias, serão ministrados módulos de formação, uma das formas através das quais a WorldSkills Russia pretende exportar as suas competências para outros países. Estas apresentações constituem um meio de introduzir ideias nos mercados b2b e b2c dos países parceiros, com vista ao desenvolvimento de programas educativos e laboratórios de curta duração.

Os participantes receberão sugestões e disporão de oportunidades de desenvolvimento pessoal adicional ao longo das suas carreiras, em parte através do lançamento de novos serviços e plataformas digitais. Acima de tudo, o Future Skills Camp dará aos especialistas, formadores e participantes as ferramentas necessárias para enfrentarem a nova realidade industrial e social com um conjunto de aptidões mais amplo e flexível, capaz de se adaptar às necessidades em evolução deste novo e dinâmico contexto.

O Future Skills Camp é apoiado pelas seguintes entidades: Rosatom, Rostec, Roscosmos, 1С Company, FANUC, InfoWatch, Autodesk, Siemens, Coex, hakta e Russian Quantum Center.