Última hora
This content is not available in your region

CÓRDOVA, A Cidade Viva

CÓRDOVA, A Cidade Viva
Direitos de autor 
Tamanho do texto Aa Aa
Para conhecer Córdova e as muitas outras belezas da região, a Andaluzia oferece aos viajantes não residentes um seguro Covid gratuito para estadias em qualquer tipo de estabelecimento regulado entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2021.

Protegida pelas colinas da Sierra Morena, Córdova é uma cidade sábia e estoica como muito poucas. Os seus primórdios antigos, a que se seguiu uma extraordinária mistura de culturas, converteram-na num lugar verdadeiramente único nos cruzamentos da História. Localizada nas margens do Guadalquivir, a cidade foi fundada entre montanhas, vales e a paisagem rural.

Durante a sua longa existência, tornou-se proeminente como uma das mais importantes cidades do mundo, tentando rivalizar com gigantes como Roma, Constantinopla, Damasco ou Bagdade. Este espantoso contexto histórico deixou um legado excecional em Córdova, que se desenvolve em torno da sua singular mesquita, um dos mais importantes monumentos islâmicos do Ocidente, e a esplêndida rede labiríntica de ruelas do bairro judeu. No entanto, o seu legado não se limita a estas áreas: prolonga-se por toda a cidade, com uma impressionante lista de monumentos criados por todas as civilizações que a forjaram. Muitos deles foram reconhecidos como Património Mundial e Córdova é agora a cidade europeia com mais inscrições na UNESCO, suplantada apenas por Pequim em todo o mundo.

© Turismo Andaluz

A variedade de culturas e influências nestes monumentos é notável, os quais incluem uma ponte e um templo romanos, os portões e os muros omíadas, a Sinagoga e o Convento de La Merced. Todos eles exibem diferentes religiões e eras da cidade, e as suas sucessivas populações. O melhor exemplo desta mistura, famoso em todo o mundo, é a Grande Mesquita-Catedral, conhecida localmente como a "Mezquita". Contruída em várias fases do estilo omíada, a Mesquita foi mais tarde ampliada com uma estrutura cristã com influências góticas, renascentistas e barrocas.

No centro histórico, edifícios monumentais erguem-se sobre as suas ruas estreitas e amplas praças. O Alcázar dos Reis Cristãos, inicialmente uma fortaleza defensiva e, mais tarde, uma residência dos monarcas católicos, é um dos mais famosos edifícios de Espanha. O seu colorido jardim é um dos locais favoritos dos visitantes. A paixão de Córdova pelos pátios tem o seu expoente máximo no bem preservado Palácio de Viana. Esta estrutura do século XIV na zona norte do centro histórico, conhecida como "museu dos pátios", está implantada em torno de doze deles.

© Turismo Andaluz

Seguindo o curso de água no centro, encontramos um complexo fluvial formado pela Torre Calahorra, uma antiga torre defensiva que hoje alberga o Museu de Al-Andalus e os Sotos de la Albolafia, uma série de moinhos no Guadalquivir.

Os pontos de interesse não se limitam ao centro histórico. Os arredores de Córdova albergam maravilhas como as ruínas da Medina Azahara, um esplêndido vestígio da era Al-Andalus. Com mais de mil anos de idade, esta cidade-palácio é um importante símbolo da extravagância e do luxo do califado. Ainda mais longe, o Mosteiro e as Capelas de São Jerónimo de Valparaíso são um local ideal para descontrair, localizado entre os picos montanhosos.

© Turismo Andaluz

Além de toda a arte e história que podemos encontrar nas suas ruelas e praças, Córdova é reconhecida pela UNESCO pela sua Fiesta de los Patios. Neste concurso organizado em maio, os habitantes abrem os seus coloridos e singulares pátios para uma seleção do mais bonito de todos. O impacto deste evento é tal que lhe foi concedido o título de Património Cultural Imaterial em 2012.

Entre todos estes locais, Córdova é, acima de tudo, uma "cidade viva", onde residem pessoas e instituições empenhadas na sua vida cultural. A cidade esconde a sua alma nos recantos mais profundos do seu labirinto urbano, no silêncio das suas ruas e pátios, revelando-se apenas aos que querem ouvir. Tal como o poeta diria, "compreendemos que, nesta terra, o seu coração e memória estiveram sempre unidos".