This content is not available in your region

Um retorno à natureza na Andaluzia

Um retorno à natureza na Andaluzia
Direitos de autor  Turismo Andaluz
Tamanho do texto Aa Aa
Para conhecer as extraordinárias paisagens e a fauna da região, a Andaluzia oferece aos viajantes não residentes um seguro Covid gratuito para estadias em qualquer tipo de estabelecimento regulado entre 1 de janeiro e 31 de dezembro de 2021.

Montanhas com cumes cobertos de neve, praias subtropicais, desertos pontilhados por catos e luxuriantes terras húmidas: a Andaluzia é palco de todas as paisagens concebíveis. É também a região espanhola com o maior número de reservas naturais, cada uma delas com o seu caráter marcadamente singular.

A sua vegetação rica é constituída por florestas de azinheiras, sobreiros e pinheiros de Alepo franqueadas por bosques de oliveiras, cerejeiras e amendoeiras, e as suas paisagens contrastantes promovem uma biodiversidade que inclui linces, águias e abutres.

Os amantes das caminhadas em colinas são presenteados com uma vasta escolha, como o maciço florestal dos Montes de Málaga ou a garganta do rio Despeñaperros. Embora as praias da região não constituam um segredo, o que é menos conhecido são as extensões costeiras como as do Estrecho, onde podemos encontrar penhascos escarpados, dunas ondulantes e grutas subaquáticas.

© Turismo Andaluz

Parques naturais

Dois dos mais espetaculares parques nacionais espanhóis encontram-se na Andaluzia: o Doñana, que, na sua maior parte, ocupa a zona ocidental da província de Huelva, e a cordilheira da Sierra Nevada, que constitui um pano de fundo para a cidade mágica de Granada. Mais a leste, encontramos a estranha paisagem desértica do Cabo de Gata, em Almeria.

Designado como área protegida em 1969 e, mais tarde, classificado como Património Mundial pela UNESCO, o parque Doñana é essencialmente famoso pela sua população dos raros linces ibéricos e da águia imperial, uma espécie ameaçada. No entanto, esta manta de retalhos de pântanos, lagoas e dunas alberga uma grande variedade de ecossistemas, nos quais 120 espécies de aves (até 300 durante a temporada migratória), e animais como os veados, os texugos, os javalis e os mangustos florescem sem ameaças.

Nos meses de verão, mesmo quando até os pântanos começam a secar, muitas aves procuram abrigo (e água) no parque adjacente de Brazo del Este, uma extensão plana de terras húmidas criadas pelas alterações agrícolas introduzidas pela atividade humana ao longo do rio Guadalquivir.

Num marcado contraste, a Sierra Nevada (cujo nome significa "serra nevada") é conhecida pelos seus picos altos, sendo a zona um destino de esqui muito concorrido no inverno. É também uma biosfera designada, graças às suas florestas antigas, à sua abundância de borboletas e insetos (muitos dos quais exclusivos do maciço) e a mais de duas mil diferentes espécies de plantas.

O Cabo de Gata, batizado devido à sua rocha de ágata, é uma zona de encostas vulcânicas, penhascos ingremes e desertos que parece situar-se noutro mundo, sendo a área com a menor precipitação da Europa. Apreciado por realizadores como Sergio Leone pela sua paisagem ao estilo do Oeste Selvagem americano, pontilhada por catos, o parque incorpora também uma reserva marinha de 120 m2, recifes de coral e ilhas rochosas fervilhantes de vida selvagem.

© Turismo Andaluz

Reservas naturais e marcos naturais

Não tão bem conhecidas são algumas das reservas naturais mais pequenas situadas na região, espalhadas pelas fronteiras orientais e ocidentais do sul de Espanha e que englobam uma ampla variedade de características geográficas e climáticas. Menores do que os parques naturais, requerem frequentemente uma autorização de entrada, tendo sido constituídas para proteger os ecossistemas mais frágeis.

São frequentemente constituídas por terras húmidas que circundam uma lagoa, tais como a Laguna de Fuente de Piedra, conhecida pelos seus substratos salinos que viram a área ser usada como mina de sal desde os tempos romanos até à década de 1950. Os antigos diques e canais construídos para esse fim são agora o lar de uma grande colónia de flamingos, entre outras aves aquáticas.

Gaivotas, maçaricos e pirlitos podem também ser encontrados na Punta Entinas-Sabinar, um ecossistema semiárido na costa ocidental de Almería, constituído por uma mistura de praias arenosas, pântanos, planícies salinas e dunas seguradas pelas matas mediterrânicas.

Existem muitas dessas reservas em cada província, juntamente com o que se designa por "marcos naturais": cavernas, desfiladeiros, quedas de água e outros, todos merecedores de proteção especial. Um desses locais é a duna com 30 metros de altura na praia ventosa de Bolonia; outro é a espetacular Cueva de los Murciélagos ("Caverna dos Morcegos"), com uma extensão de 2 km, na província de Córdova.

© Turismo Andaluz

Vías verdes

Contudo, para uma apreciação geral da diversidade geográfica proporcionada pela Andaluzia, os visitantes têm ao seu dispor uma rede de "vías verdes". Estas linhas férreas caídas em desuso foram convertidas em caminhos planos e amplos que os visitantes podem usar para explorarem o campo a pé ou de bicicleta.

Algumas disponibilizam contexto histórico, tais como a antiga rota do comboio do azeite, a Vía Verde de la Subbética, com uma extensão de 112 km que atravessa olivais e vinhas a sul da província de Córdova, ou a Vía Verde de Riotinto, onde os antigos comboios mineiros transitavam paralelamente ao rio Tinto.

Outras, todavia, limitam-se a proporcionar uma forma de apreciar as colinas e os rios, os prados e os pomares, montanhas e pântanos que, em conjunto, perfazem uma das mais gratificantes regiões espanholas.