Última hora

Última hora

Argentina na final, 24 anos depois

Em leitura:

Argentina na final, 24 anos depois

Tamanho do texto Aa Aa

A final do Mundial 2014 vai ser uma reedição do passado. Argentina e Alemanha vão enfrentar-se na partida derradeira, como há 24 anos. Tal como então no Estádio Olímpico de Roma, no próximo domingo no Maracaná, no Rio de Janeiro. Os argentinos conseguiram avançar, batendo os holandeses por 4 a 2 no Arena de São Paulo.

Depois de um jogo a cair na monotonia, o desempate veio por grandes penalidades.

A partida foi marcada mais pelo medo de perder do que pela vontade de arriscar um golo, com muita disputa a meio-campo, com a bola longe das balizas e as duas equipas a jogar para o prolongamento.

Romero defendeu o remate de Vlaar. Messi marcou o primeiro golo, Robben fez o empate, o 2-1 foi marcado por Garay, Romero defendeu remate de Sneijder, Aguero fez o 3-1, Kuyt marcou o 2-3 e Rodriguez fez o quarto golo da Argentina.

Argentina de luto

Mais uma morte tocou a Argentina, neste Mundial. Depois da morte da jovem jornalista na semana passada, eis que um trágico acidente de viação tirou a vida a outro jornalista argentino.

O jornalista argentino Jorge López, de 38 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira, em São Paulo, em consequência de um acidente automóvel.

A morte de López resultou do embate violento de um automóvel roubado perseguido pela polícia, contra o taxi onde viajava o jornalista.

O acidente teve lugar em Guarulhos, na Grande São Paulo. A colisão esmagou o taxi contra um poste, expulsando o jornalista do veículo.

López era repórter do jornal desportivo Olé e autor de várias entrevistas a Lionel Messi, que conheceu quando o jogador viveu em Barcelona, entre 2000 e 2005.

Este foi o segundo jornalista argentino morto num acidente de viação durante o Mundial. No passado dia 2 de julho, Maria Soledad Fernandez, de 26 anos, foi morta numa colisão em Oliveira, Minas Gerais, após o jogo entre a Argentina e a Suíça em São Paulo.

Vandalismo na ressaca da derrota

A incrível derrota da equipa da casa na terça-feira, deu origem a desacatos em algumas cidades brasileiras. Atos de vandalismo, pilhagem, fogo posto – eis o balanço de uma noite de raiva e frustração.

Nem todos os brasileiros souberam aceitar a derrota histórica da seleção canarinha frente à Alemanha, na meia-final do Campeonato do Mundo.

A polícia teve de lidar com desacatos no exterior do Mineirão, em Belo Horizonte, onde a partida foi disputada, tendo sido feitas detenções. Isto enquanto São Paulo e o Rio de Janeiro foram igualmente cenário de violência e vandalismo.

Segundo as autoridades, em São Paulo foi pilhada uma loja de electrodomésticos e foram incendiados cerca de vinte autocarros em diferentes lugares da cidade, a maior parte em consequência de um incêndio de grandes dimensões provocado por um grupo de vândalos num estacionamento de autocarros na zona sul da capital paulista.

Redes socias fervem

A violência não chegou às redes sociais, onde dominou a ironia – desde os lamentos desesperados dos fãs às fotos mais sarcásticas. Só no Twitter, a primeira semi-final deu origem a mais de 35 milhões de mensagens.

Esta foi mais uma edição do The Corner Especial Mundial. Continuem connosco. Slim Yacini vai acompanhar a próxima etapa desta viagem no Brasil.