Última hora

Última hora

Presidenciais: Exército tunisino mata homem que tentava atacar soldados

O exército tunisino matou um homem e prendeu outros três que tentavam atacar soldados que guardavam uma escola, onde estava armazenado material

Em leitura:

Presidenciais: Exército tunisino mata homem que tentava atacar soldados

Tamanho do texto Aa Aa

O exército tunisino matou um homem e prendeu outros três que tentavam atacar soldados que guardavam uma escola, onde estava armazenado material eleitoral para a votação deste domingo, uma informação avançada pelo Ministério da Defesa.

Quase 5,3 milhões de eleitores tunisinos votam a segunda volta das presidenciais:

“Temos direitos e temos de pô-los em prática, Deus queira que a Tunísia encontre a estabilidade e que o futuro seja bom”, adianta uma tunisina.

“Esperamos que a Tunísia volte a ser dinâmica para recuperar o lugar que ocupou durante muitos anos e a sua importância geoestratégica na região do Mediterrâneo”, afirma um empresário local.

Os eleitores escolhem entre o líder do partido laico Nidaa Tounès, Beji Caid Essebsi, de 88 anos, que ganhou a primeira volta com 39 por cento, contra os 33 obtidos pelo atual Presidente interino Moncef Marzouki, eleito pela Assembleia Constituinte.

É o fim de um ciclo de transição política, iniciado com a revolução de 2011, que depôs Ben Ali, no poder durante 23 anos.

A Tunísia vive uma crise política profunda que levou o partido islâmico Ennahda a abandonar o poder no início do ano.