Última hora

Última hora

Grécia domina atenções da Cimeira Europeia

Em leitura:

Grécia domina atenções da Cimeira Europeia

Grécia domina atenções da Cimeira Europeia
Tamanho do texto Aa Aa

Não consta da agenda oficial da Cimeira, mas as atenções estão quase todas viradas para a Grécia e para o encontro que vai ocorrer à margem do conselho, entre Tsipras, Merkel, Hollande, Draghi, Tusk, Juncker e Dijsselbloem.
O primeiro-ministro grego, que pediu esta reunião, chegou a Bruxelas com muitos apelos. Alexis Tsipras defende que “a União Europeia precisa de iniciativas políticas corajosas, que respeitem a democracia e os tratados, de forma a deixar para trás a crise e caminhar para o crescimento”.

A esperança de Tsipras contrasta com as cautelas de outros líderes.
A chanceler alemã Angela Merkel está menos otimista e à entrada para a cimeira lembrou que “todos vão estar atentos às conversas que vão ocorrer com o primeiro-ministro grego, mas não se deve esperar nenhuma solução, nenhum avanço significativo. As decisões não são tomadas neste espaço, as decisões foram tomadas no Eurogrupo”.

Além disso, outros Estados-membros, sobretudo, os que mais sofreram durante a crise, não ficaram muito satisfeitos com esta exclusão da reunião. É o caso da Bélgica. O primeiro-ministro Charles Michel considera que este “método é um erro. O governo belga não deu nenhuma procuração nem a França nem à Alemanha para negociar. A Bélgica também está envolvida neste negócio uma vez que emprestou 7 mil milhões de euros à Grécia. Todos os países da Zona Euro estão diretamente envolvidos”.

Mas Atenas parece querer “encurtar” o caminho já que até esta sexta-feira, tem de pagar 350 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI) e outros 460 milhões de euros a 13 de abril.

01’40’‘ out