Última hora

Última hora

À "capacetada", mineiros ucranianos exigem demissão de ministro da Energia

Grave crise no setor leva mineiros a protestar em Kiev. Governo deu ordens para se começar a pagar salários em atraso

Em leitura:

À "capacetada", mineiros ucranianos exigem demissão de ministro da Energia

Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de de um milhar de mineiros exigiu esta quarta-feira, em Kiev, a demissão do ministro da Energia da Ucrânia. Volodymyr Demchyshyn é considerado responsável pela grave crise que o setor atravessa no país e os mineiros fizeram ouvir as suas reivindicações ao ritmo das batidas dos respetivos capacetes no pavimento.

Os mineiros da exploração de carvão concentraram-se junto ao edifício da Administração Presidencial, na capital ucraniana, ostentando cartazes em que se lia, por exemplo, “parem de destruir a indústria das minas de carvão” ou “o ministro Demshyshyn tem de se demitir.”



O protesto foi observado de perto pelas forças policiais. Há relatos de tentativas de romper o cordão de segurança, mas sem registo de confrontos.

O correspondente da euronews em Kiev, Dmytro Polonsky, acompanhou de perto a manifestação e resume as principais reivindicações: “Os mineiros exigem mais apoios, o aumento dos salários, a reposição dos subsídios para o setor e a demissão do ministro Volodymyr Demchyshyn, o qual anunciou recentemente que pelo menos três minas vão fechar.”



Um dos mineiros escutados pela euronews garantiu: “Não temos qualquer segurança nas nossas minas, não há possibilidade de comprarmos material para escavar os túneis e extrair carvão. Estamos a arriscar as nossas vidas para dar carvão ao Estado e a tentar ganhar dinheiro para as nossas famílias. Como posso explicar ao meu filho de quatro anos que não lhe posso comprar comida?”

Os participantes no protesto concentraram-se também junto à sede da Rada Suprema (parlamento), com cartazes em que se podia ler “deputados, apoiam as minas de carvão” ou “sem carvão não há eletricidade”. Os mineiros prometem não deixar Kiev sem ver satisfeitas as exigências.

O primeiro-ministro Arseniy Iatsenyuk deu instruções a Volodymyr Demchyshyn para meter em marcha o programa de reforma da indústria mineira ucraniana. O governo já aprovou a soma de 400 milhões de hryvnas (16,2 milhões de euros) para pagar salários em atraso nas minas do Estado. Um quarto do dinheiro já foi movimentado na semana passada.

As minas de carvão mais importantes da Ucrânia situam-se no leste. Muitas estão em zonas controladas pelos separatistas pró-russos, que mantém há mais de um ano um violento conflito armado com o governo da Ucrânia escolhido após a destituição do antigo Presidente pró-russo Viktor Ianukovich.