Última hora

Última hora

Hat-trick de Lorenzo no dia em que Miguel Oliveira entrou para a história por 71 milésimos

Jorge Lorenzo é o homem do momento na Moto GP e festejou no Grande Prémio de Itália a terceira vitória consecutiva. Tal como tinha acontecido em

Em leitura:

Hat-trick de Lorenzo no dia em que Miguel Oliveira entrou para a história por 71 milésimos

Tamanho do texto Aa Aa

Jorge Lorenzo é o homem do momento na Moto GP e festejou no Grande Prémio de Itália a terceira vitória consecutiva. Tal como tinha acontecido em Jerez de la Frontera e Le Mans, o espanhol não teve adversários à altura e venceu tranquilamente.

Campeão do mundo em 2010 e 2012, caso mantenha o atual estado de forma, Lorenzo é o mais forte candidato a garantir mais um título mundial no final da temporada.

O piloto da Yamaha repetiu a receita das duas corridas anteriores, assumiu a liderança logo nos primeiros momentos e partiu para mais um passeio até cruzar a linha da meta.

Depois de Andrea Dovizioso abandonar, foi Andrea Iannone a protagonizar um duelo intenso com Marc Márquez pela segunda posição. O transalpino levou a melhor.

O pódio ficou completo com Valentino Rossi, o único piloto a terminar todas as corridas entre os três primeiros. O italiano manteve a liderança do mundial mas com apenas seis pontos de vantagem sobre Lorenzo.

Márquez volta a desiludir

Marc Márquez venceu os dois últimos campeonatos do mundo em estilo e prometia deixar o nome entre as lendas do motociclismo. Este ano, no entanto, o espanhol tem passado por dificuldades e é apenas quinto no mundial, já a 49 pontos de Rossi. Em Mugello, Márquez voltou a não ser feliz.

O pesadelo do bicampeão do mundo começou bem cedo, tendo-se ficado pela pré-qualificação pela primeira vez na carreira. Nunca antes tinha partido da 13ª posição na grelha de partida mas isso não o impediu de brilhar na corrida. No arranque ultrapassou oito pilotos e rapidamente se colocou entre os mais rápidos.

Lutava taco a taco com Iannone pela segunda posição e corria cada vez mais riscos até que perdeu o controlo da sua Honda e foi obrigado a abandonar.

A história repete-se, já em 2013 Márquez tinha sofrido uma queda quando lutava pelo segundo lugar no Grande Prémio de Itália.

Miguel Oliveira faz história

O décimo primeiro lugar na grelha de partida na Moto 3 não antevia um grande fim de semana para Miguel Oliveira. No entanto, o piloto de Almada fez questão de provar o contrário num dia histórico para o motociclismo português.

A corrida foi pautada pelo extremo equilíbrio, com bastantes mudanças de líder e vários pilotos com hipóteses realistas de lutar pela vitória. À medida que se aproximava a bandeira de xadrez, um nome ia-se destacando dos demais: Miguel Oliveira.

YESSS!! No words for this❤️P1 SIMMM!!! Sem palavras❤️ #turma44 #tudoaferroefogo

Posted by Miguel Oliveira#44 Oficial Page on Sunday, 31 May 2015

O português até chegou a perder a primeira posição na última volta mas quando chegou o momento de cruzar a linha da meta já estava de novo na frente.

Miguel Oliveira terminou com uma vantagem de 71 milésimos sobre Danny Kent, que manteve a liderança do mundial de pilotos. O primeiro piloto português a vencer uma prova no mundial de motociclismo é quarto.

Condutores de domingo

A Fórmula 3 está recheada de jovens talentos que sonham com um lugar na Fórmula 1. O campeonato de 2015 não é exceção mas a julgar pelo que vimos este fim de semana, em Monza, ainda têm um longo caminho a percorrer.

As primeiras duas de três corridas agendadas para circuito italiano já tinham dado o mote. Acidentes atrás de acidentes e o safety car sem mãos a medir.

A tal ponto que o diretor da corrida, Nils Wittich, foi obrigado a ameaçar os pilotos, dizendo-lhes que se não mudassem o comportamento na corrida de domingo, não hesitaria em lançar o safety car em pista até ao final da prova.

A medida acabou por ser mais drástica. Os erros flagrantes começaram logo nas primeiras voltas e a solução foi simples: anular a corrida e mandar toda a gente para casa.