Última hora

Última hora

"O filho de Saul": um filme que nos faz sentir a tragédia e o desespero de uma forma poderosa

Em leitura:

"O filho de Saul": um filme que nos faz sentir a tragédia e o desespero de uma forma poderosa

Tamanho do texto Aa Aa

“O filho de Saul” do realizador húngaro Lazslo Nemez causou sensação no último festival de Cannes e venceu o prémio especial do júri. A personagem

“O filho de Saul” do realizador húngaro Lazslo Nemez causou sensação no último festival de Cannes e venceu o prémio especial do júri.

A personagem principal, Saul, está internada em Auschwitz há várias semanas. Só escapou à morte porque faz parte dos Sonderkommando e trabalha para os nazis na limpeza dos fornos crematórios. Um dia crê reconhecer o cadáver do filho. A partir daí, o que lhe resta de humanidade e vontade vai ser dedicado a procurar uma sepultura digna para o filho.

A primeira longa-metragem do realizador é uma proeza, no limite do suportável, porque mais do que mostrá-lo o filme sugere o horror.

É muito raro ver um filme que nos faz sentir a tragédia e o desespero de uma forma tão poderosa até ao desfecho final.

A estreia em Portugal está prevista para 25 de fevereiro.