Última hora

Última hora

"Home Guards" retrata grupos paramilitares que atacam as comunidades ciganas na Hungria

Em leitura:

"Home Guards" retrata grupos paramilitares que atacam as comunidades ciganas na Hungria

Tamanho do texto Aa Aa

“Home Guards” retrata os grupos paramilitares que atacam as comunidades ciganas, na Hungria. A realizadora e argumentista húngara Krisztina Goda quis

“Home Guards” retrata os grupos paramilitares que atacam as comunidades ciganas, na Hungria.

Point of view

Queria mostrar a personagem do polícia que, no início, é uma pessoa adorável e carismática, que pode ser um ídolo para os rapazes, e que depois se torna numa pessoa completamente diferente.

A realizadora e argumentista húngara Krisztina Goda quis explorar o tema da manipulação das pessoas.

“Foi uma espécie de curiosidade psicológica que me levou a fazer este filme. Queria mostrar a personagem do polícia que, no início, é uma pessoa adorável e carismática, que pode ser um ídolo para os rapazes e que depois se torna numa pessoa completamente diferente”, afirmou a realizadora.

O filme acompanha dois irmãos desempregados que são recrutados pela polícia para ajudar a combater a criminalidade. Viktor Klem é um dos atores principais.

“Pode ver como somos no início e como ficámos no fim. Rapámos a cabeça. Tal como muitos jovens que têm uma paixão deixámos de ter limites e inimigos, fazemos o que queremos e não queremos saber o que os outros pensam”, sublinhou Viktor Klem.

Com um orçamento de 3,2 milhões de euros, a longa-metragem é uma das produções mais caras do cinema húngaro.

“Home Guards” acaba de chegar às salas de cinema da Hungria e não tem data de estreia prevista em Portugal.