Última hora

Última hora

Movimento Nacionalista ganha protagonismo na crise política da Turquia

É líder dos nacionalistas turcos desde 1997. Devlet Bahceli é agora um dos protagonistas da crise política que se vive na Turquia e forçou a uma nova

Em leitura:

Movimento Nacionalista ganha protagonismo na crise política da Turquia

Tamanho do texto Aa Aa

É líder dos nacionalistas turcos desde 1997. Devlet Bahceli é agora um dos protagonistas da crise política que se vive na Turquia e forçou a uma nova ida às urnas, depois do fracasso das eleições de junho.
O MHP, Movimento Nacionalista, era considerado, dentro dos partidos da oposição, o que poderia formar uma coligação com o AKP, Partido da Justiça e Desenvolvimento liderado por Recep Tayyip Erdogan. Mas Bahceli recusou.

Há quatro meses, o partido de Erdogan, após 13 anos de domínio da vida política turca, não conseguiu conquistar a maioria absoluta no parlamento. Foi obrigado a tentar coligar-se mas todas as tentativas acabaram por falhar.
A 8 de junho, Bahceli dizia que “a primeira hipótese de coligação deve ser entre o AKP e o HDP. A segunda será uma coligação entre o AKP e o CHP ( Partido Republicano do Povo) e o HDP. Se estes dois cenários falharem, devem ser convocadas novas eleições.”

E foi exatamente o que aconteceu depois de terem sido recusadas todas as possíveis alianças. A instabilidade é tanta que Turkes, um histórico do MHP, só por aceitar a nomeação como vice-primeiro ministro do governo interino, acabou suspenso do partido. Assim, o Movimento Nacionalista perde um lugar no parlamento, fica apenas com 79 deputados.

Sendo a terceira força política do país, e declaradamente anti-curdo, o MHP acusa o governo de Erdogan de ter facilitado a entrada do HDP no parlamento. Depois do atentado de setembro, os militantes nacionalistas envolveram-se em violentos confrontos junto à sede do partido pró-curdo.

Fundado em 1969, o MHP foi durante muitos anos pouco representativo. Apenas nos anos 90 conseguiu consquistar espaço na vida política turca e em 99 tornou-se na segunda força política do país.
Sob a liderança de Devlet Bahçeli, tem gradualmente moderado o programa, passando do nacionalismo étnico para um nacionalismo e conservadorismo cultural, sublinhando o carácter unitário do Estado turco. O MHP tem estado continuamente representado na Assembleia Nacional desde 2007 com percentagens de eleitores acima dos 10%.