Última hora

Última hora

Novo patrão da Volkswagen em maus lençóis

Matthias Müller presidiu à Porsche antes de comandar os destinos da Volkswagen.

Em leitura:

Novo patrão da Volkswagen em maus lençóis

Tamanho do texto Aa Aa

As novas revelações sobre o escândalo Volkswagen deixam o novo patrão em muito maus lençóis.

Point of view

Se a EPA diz que até as marcas premium como a Audi e a Porsche foram afetadas, isso signigica que há ainda muito por fazer em termos de gestão da crise

A agência norte-americana de proteção do ambiente, EPA, disse que a fraude nas emissões de partículas afeta também os motores de alta cilindrada, incluindo de vários modelos das marcas topo de gama do grupo, Audi e Porsche, o que significa que as dores de cabeça da construtora alemã estão longe de estar terminadas.

“Se a Volkswagen tiver já posto todas as cartas em cima da mesa e disser que não há mais modelos afetados, então está tudo bem. Mas se a EPA diz que até as marcas premium como a Audi e a Porsche foram afetadas, isso signigica que há ainda muito por fazer em termos de gestão da crise”, diz o analista Juergen Pieper.

Matthias Müller é o novo presidente executivo da Volkswagen, em substituição de Martin Winterkorn, que se demitiu na sequência do escândalo. Ora, antes de assumir a posição, Müller era o presidente da Porsche, o que pode significar que tem também culpas no cartório.

Para a chanceler Angela Merkel, a Alemanha continua a ser sinónimo de qualidade: “Graças à inovação, Made in Germany continua a ser um selo de qualidade. O que aconteceu na Volkswagen não muda nada, quero frisar isso. Mas também mostra que precisamos de transparência e de limpar o que está mal”, disse a chefe de governo alemã.

O escândalo já custou à construtora alemã o primeiro prejuízo em 15 anos e os problemas podem estar para durar, já que este foi o maior abalo de sempre no seio do grupo fundado por Ferdinand Porsche.