Última hora

Última hora

Metrojet: Rússia admite hipótese terrorista

O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, admitiu pela primeira vez que a queda do avião pode ter-se devido a um atentado. As primeiras conclusões apontam para uma bomba a bordo.

Em leitura:

Metrojet: Rússia admite hipótese terrorista

Tamanho do texto Aa Aa

Pela primeira vez, a Rússia admitiu publicamente que a queda do Airbus A321 da Metrojet, entre Sharm-el-Sheikh e São Petersburgo.

Numa entrevista ao jornal Rossiskaya Gazeta, o primeiro-ministro Dmitri Medvedev disse que a hipótese de um ato terrorista não era de excluir.

Se a Rússia parece abordar esta hipótese com precaução em público, já em privado as autoridades russas parecem não ter grandes dúvidas, segundo as comunicações intercetadas pelos serviços secretos norte-americanos. As gravações da caixa negra sugerem uma explosão a bordo.

Tanto o Egito como a Rússia classificaram como prematuras as conclusões dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha que validavam a tese do atentado. Os dois países recusaram também a colaboração do FBI, a polícia federal norte-americana.

Depois de inicialmente ter recusado uma suspensão dos voos, a Rússia acabou, tal como o Reino Unido, por suspender o tráfego aéreo entre o país e a estância turística no Egito. Estabeleceu uma ponte aérea para repatriar os turistas.