Última hora

Última hora

Pacifistas manifestam-se em Madrid e Londres contra bombardeamentos na Síria

A possibilidade do Reino Unido de juntar-se aos bombardeamentos internacionais na Síria está longe de ser apoiada pela maioria da classe política

Em leitura:

Pacifistas manifestam-se em Madrid e Londres contra bombardeamentos na Síria

Tamanho do texto Aa Aa

A possibilidade do Reino Unido de juntar-se aos bombardeamentos internacionais na Síria está longe de ser apoiada pela maioria da classe política.

Cerca de cinco mil pessoas manifestaram-se em Londres, dias antes da decisão poder ser submetida ao parlamento pelo primeiro-ministro David Cameron.

Segundo uma sondagem, publicada no jornal Daily Mail, 49% dos britânicos preferem uma solução diplomática antes de alargarem a operação militar do Iraque à Síria.

Em Londres, a líder do movimento pacifista “Stop The War, afirma.

“Nós estamos contra o plano de David Cameron de submeter ao voto do parlamento a decisão de bombardear a Síria. Os bombardeamentos já começaram há mais de um ano, levados a cabo pelas maiores potências mundiais, como os Estados Unidos e a Rússia”.

O tema divide igualmente os trabalhistas britânicos no parlamento. Vários deputados opõem-se à decisão do novo líder do “Labour”, o pacifista Jeremy Corbyn, de votar contra os bombardeamentos.

A memória da guerra no Iraque levou igualmente milhares de espanhóis a manifestar-se este sábado, em várias cidades, contra a participação do país na coligação militar internacional na Síria.

Uma manifestante afirma, “estou aqui hoje pois não gosto da guera e penso que a violência gera mais violência e não penso que a violência seja uma forma de resolver os problemas”.

O protesto ocorre num momento em que o primeiro-ministro Mariano Rajoy assegurou que não tomará qualquer decisão sobre o tema, a um mês das eleições.