Última hora

Última hora

Cinema: A velha Europa aclama "A Juventude" de Sorrentino

O mais recente filme do italiano Paolo Sorrentino é o grande vencedor da gala dos prémios europeus de cinema. “A juventude” arrebatou os principais

Em leitura:

Cinema: A velha Europa aclama "A Juventude" de Sorrentino

Tamanho do texto Aa Aa

O mais recente filme do italiano Paolo Sorrentino é o grande vencedor da gala dos prémios europeus de cinema.

“A juventude” arrebatou os principais galardões atribuídos esta noite em Berlim, de melhor filme do ano, a melhor realizador e melhor ator para o britânico Michael Caine, homenageado igualmente com um prémio honorário do júri.

“Trata-se de um pequeno filme sobre a perceção que temos da liberdade e estou muito contente com este prémio, pois o mais importante atualmente na Europa é isto mesmo: a perceção que temos da liberdade”, afirmou o realizador italiano.

O filme acompanha o reencontro de dois velhos amigos, à beira dos oitenta anos, num luxuoso hotel dos Alpes suíços, entre os picos das memórias de juventude e as falésias da terceira idade.

Entre os vencedores da noite , o filme do realizador sueco, Roy Andersson, “Um Pombo Pousou num Ramo a Refletir na Existência”, venceu o prémio de melhor comédia europeia.

Na categoria documentário, “Amy”, de Asif Kapadia, sobre a cantora falecida Amy Winehouse, arrebatou o prémio da categoria, enquanto “The Lobster”, do grego Yorgos Lanthimos, venceu o prémio de melhor argumento europeu.

A britânica Charlotte Rampling foi também duplamente galardoada com um prémio de carreira e de melhor atriz pelo papel de Kate, em “45 anos”.

O filme do britânico Andrew Haigh, conta a história do aniversário de casamento de um casal, marcado pelo regresso da memória de um amor de juventude.

Entre os galardoados da noite conta-se ainda o filme português de Miguel Gomes, “As Mil e Uma Noites”, que venceu o prémio de Melhor Design de Som, atribuído a Vasco Pimentel e Miguel Martins.