Última hora

Última hora

Renault suspeita de fraude e a sofrer fortes perdas na bolsa de Paris

A Renault está a sofrer esta quinta-feira uma forte queda na bolsa de Paris na sequência de suspeitas de fraude que caíram sob a fabricante automóvel

Em leitura:

Renault suspeita de fraude e a sofrer fortes perdas na bolsa de Paris

Tamanho do texto Aa Aa

A Renault está a sofrer esta quinta-feira uma forte queda na bolsa de Paris na sequência de suspeitas de fraude que caíram sob a fabricante automóvel francesa que lidera o setor em Portugal.

Os títulos da Renault chegaram a estar a cair mais de 20 por cento. Às 13 horas (menos uma hora em Lisboa), a queda rondava os 15 por cento e o preço por ação rondava os 73 euros.

Na origem deste afundamento em bolsa estão as suspeitas levantadas por uma investigação antifraude do ministério da economia francês a eventuais manipulações da Renault nos testes aos motores dos carros. A desconfiança terá motivado na semana passada uma busca a várias instalações do fabricante francês.

Vários computadores terão sido apreendidos pela Direção Geral da Concorrência, Consumo e Repressão de Fraudes (DGCCRF), adiantou a France-Presse, citando o sindicato CGT. A Renault já confirmou as buscas à sede da empresa, ao centro técnico de Lardy e ao centro de Guyancourt, mas sem que fosse detetado qualquer dispositivo suspeito.

A investigação à Renault está relacionada com o caso que atingiu a Volkswagen, em setembro, nos Estados Unidos. De acordo com a Bloomberg, a derrapagem em bolsa desta quinta-feira já terá custado à Renault 5,8 mil milhões de euros em valor de mercado.

Em Itália, na bolsa de Milão, também os títulos da Fiat-Chrysler estiveram esta manhã a cair mais de 10 por cento depois de a página de internet Automotive Newsx ter adiantado que a empresa italo-americana teria falsificado o resultado das vendas nos Estados Unidos. A suspeita terá sido lançada depois de dois vendedores de Chigado terem denunciado a Fiat-Chrysler de lhes ter oferecido dinheiro para declararem ter vendido mais carros do que o de facto efetuado.