Última hora

Última hora

Nações Unidas denuncia crimes comentidos pelas forças de segurança Burundi

As forças de segurança do Burundi praticaram violações em grupo enquanto faziam buscas nas casas de líderes da oposição suspeitos. A denúncia é feita

Em leitura:

Nações Unidas denuncia crimes comentidos pelas forças de segurança Burundi

Tamanho do texto Aa Aa

As forças de segurança do Burundi praticaram violações em grupo enquanto faziam buscas nas casas de líderes da oposição suspeitos. A denúncia é feita pelas Nações Unidas, que garante ter provas das acusações.
Num relatório divulgado esta sexta-feira, explicam que os agentes separaram as mulheres e as violaram. Há, até ao momento, 13 casos de violência sexual.

Rupert Colville, porta-voz do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, explica que
“a ideia de que estes casos podem ter uma dimensão étnica ganha força: uma das mulheres que foi vítima de abusos sexuais disse que o violador afirmou que estava a pagar o preço de se Tutsi. Outra testemunha garantiu que os Tutsis foram sistematicamente mortos, enquanto os Hutus foram poupados. E no bairro de Muramvya, em Bujumbura, de acordo com várias testemunhas, a decisão de prender pessoas era tomada com base na étnia”.

A ONU diz que as forças de segurança terão ainda sequestrado, torturado e matado dezenas de homens jovens. Além disso, estão a ser investigadas nove valas comuns encontradas em Bujumbura e em redor da capital.

Nos últimos meses, a violência no Burundi já fez mais de 400 mortos e 200 mil pessoas abandonaram o país.

A situação agravou-se depois do presidente Pierre Nkurunziza ter anunciado que se vai candidatar a um terceiro mandato, o que obrigava a mudar a Constituição.