Última hora

Última hora

Facebook "desamiga-se" das armas nos EUA

A maior rede social do mundo une-se aos esforços da Casa Branca para limitar o comércio ilegal de armas na Internet. O Facebook e a sua plataforma

Em leitura:

Facebook "desamiga-se" das armas nos EUA

Tamanho do texto Aa Aa

A maior rede social do mundo une-se aos esforços da Casa Branca para limitar o comércio ilegal de armas na Internet.

O Facebook e a sua plataforma de partilha de imagens, Instagram, anunciaram que vão passar a bloquear todos os anúncios de particulares que contornem a legislação norte-americana, que exige licenças específicas e controlos de antecedentes criminais aos potenciais compradores de armas de fogo.

As empresas autorizadas pela lei a efetuarem este tipo de transações poderão, no entanto, continuar a anunciar os seus produtos nas duas redes sociais.

O Facebook já proibia desde 2014 a venda de cannabis, produtos farmacêuticos ou drogas ilegais através das suas plataformas.

O gesto do Facebook responde ao último apelo de Barack Obama em favor de um maior controlo sobre a venda de armas entre particulares. Impedido de reforçar a legislação através do Congresso, Obama tinha decidido nas últimas semanas reforçar a aplicação da legislação sobre a venda de armas entre particulares, utilizando-se apenas dos seus poderes executivos como chefe de estado.