Primárias nos EUA: Trump continua favorito e Sanders suplanta Clinton nas sondagens

Access to the comments Comentários
De  Dulce Dias  com Reuters, NBC
Primárias nos EUA: Trump continua favorito e Sanders suplanta Clinton nas sondagens

<p>Donald Trump continua a ser o preferido do eleitorado republicano norte-americano, que o apoia a 40, segundo a mais recente <a href="http://bit.ly/1URswih">sondagem</a> Reuters/Ipsos. </p> <p>Isto, apesar de o multimilionário ter surgido em segundo lugar no “caucus” do Iowa, batido pelo hispânico Ted Cruz, que só recolhe 16% dos apoios.</p> <p>“Os nossos direitos fundamentais estão em perigo a cada dia que passa. A América está a recuar na sua liderança mundial – o que tornou o mundo num lugar muito mais perigoso. A importância desta eleição não podia ser maior”, afirma, em comício, o aspirante a candidato republicano às presidenciais norte-americanas.</p> <p>Em terceiro lugar da sondagem surge outro latino: Marco Rubio. O senador da Florida recolhe 13% dos apoios. No “caucus” do Iowa ficou apenas 1% abaixo de Donald Trump.</p> <p>No campo de Jeb Bush – relegado para quinto lugar das sondagens, atrás do neurocirurgião afro-americano Ben Carson – a política é mesmo um assunto de família. </p> <p>Num comício em Derry, no New Hampshire, Estado que, terça-feira, realiza primárias, Jeb Bush veio acompanhado pela mãe, Barbara Bush, atualmente com 90 anos.</p> <p>Para além disso, o “super <span class="caps">PAC</span>” do candidato (o comité que recolhe os fundos de campanha), lançou um vídeo de propaganda onde a “estrela” é… o irmão do candidato, o ex-presidente George W. Bush.</p> <iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/nkbr2wwlNhI" frameborder="0" allowfullscreen></iframe> <p>Do lado dos democratas, é Bernie Sanders que surge na liderança das <a href="http://bit.ly/1Ppdeh2">sondagens</a>, com 48% dos apoios, depois de ter sido batido, por apenas 0,2% no “caucus” do Iowa, pela ex-secretária de Estado Hillary Clinton, que recolhe 45% dos apoios – ela que, no início do ano, era largamente favorita nas sondagens.</p>