Última hora

Última hora

Futebol não escapa aos 'Panama Papers'

Sem surpresa, o mundo do futebol não escapa ao escândalo 'Panama Papers, a investigação jornalística que começou a revelar um gigantesco esquema de lavagem de dinheiro e fraude fiscal através de socie

Em leitura:

Futebol não escapa aos 'Panama Papers'

Tamanho do texto Aa Aa

Sem surpresa, o mundo do futebol não escapa ao escândalo ‘Panama Papers’, a investigação jornalística que começou a revelar um gigantesco esquema de lavagem de dinheiro e fraude fiscal através de sociedades ‘offshore’.

“É “o maior crime de sempre”, escreve Pedro Santos Guerreiro, diretor do Expresso”:http://expresso.sapo.pt/blogues/blogue_no_proprio_dia/2016-04-03-O-maior-crime-de-sempre, um dos meios de comunicação social que participa no trabalho conjunto do Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação

Lionel Messi, um dos melhores futebolistas da atualidade, continua a ser investigado em Espanha por fuga ao fisco e até já pagou 10 milhões de euros de impostos em atraso. Agora, o astro argentino e o pai terão de explicar as suas relações com uma empresa de fachada criada no Panamá, a Mega Star Enterprises Inc.. Para já, a família Messi negou tudo.

Para já, Messi decidiu processar a imprensa

Michel Platini já disse ter a sua situação tributária regularizada na Suíça, onde estabeleceu residência fiscal em 2007, o mesmo ano em que foi criada a Balney Entreprises Corporation, que tem o presidente suspenso da UEFA como único administrador.

Figuras já ligadas aos casos de corrupção no seio da FIFA também vão ter agora que explicar as suas ligações a empresas obscuras criadas pela sociedade de advogados panamiana Mossack Fonseca. É o caso de Juan Pedro Damiani – membro da comissão de Ética da FIFA e presidente do Peñarol- cujo escritório de advogados tinha negócios com três personalidades indiciadas no escândalo que levou à queda de Sepp Blatter.