Última hora

Em leitura:

Cameron: "A Grã-Bretanha não abandona o navio"

mundo

Cameron: "A Grã-Bretanha não abandona o navio"

Publicidade

O Reino Unido não pode deixar a União Europeia – diz o primeiro-ministro David Cameron, que insistiu nas más consequências de uma saída, a três dias do referendo em que os britânicos vão decidir se devem, ou não, deixar a União,

O primeiro-ministro é a principal figura no campo do sim à permanência da União. Diz que o país não é de abandonar o navio (“not a quitter”, no original) e que, mesmo se a Grã-Bretanha sair, a influência da União Europeia é impossível de evitar.

Nesta luta, Cameron tem de fazer face a várias personalidades do próprio partido. A figura de proa do campo contrário é o antigo presidente da Câmara de Londres, Boris Johnson.

Este é também um referendo à liderança de Cameron. Se a saída da União Europeia, ou “Brexit”, se concretizar, há uma grande hipótese de que Boris Johnson o venha a substituir, tanto na chefia do partido como do governo.

A campanha foi retomada, depois da interrupção de três dias causada pelo assassínio da deputada trabalhista Jo Cox, ativista pelos direitos dos imigrantes e pela continuação na União Europeia.

Nas sondagens, o campo da manutenção na União Europeia voltou a ultrapassar o da saída.

Há pontos de vista diferentes para cada história: a Euronews conta com jornalistas do mundo inteiro para oferecer uma perspetiva local num contexto global. Conheça a atualidade tal como as outras línguas do nosso canal a apresentam.

Artigo seguinte